41

Resenha - A Arte da Imperfeição

em terça-feira, 22 de maio de 2012

A arte da imperfeição
Brené Brown
Editora Novo Conceito
183 páginas

Este importante livro é sobre a jornada de uma vida, deixando de se preocupar com "O que os outros vão pensar?" e acreditando que "Eu sou suficiente". A habilidade ímpar da autora em misturar pesquisa original com relatos faz com que a leitura de A Arte da Imperfeição pareça uma longa e animadora conversa com uma amiga muito sábia que oferece compaixão, sabedoria e ótimos conselhos.
A cada dia nos deparamos com uma enxurrada de imagens e mensagens da sociedade e da mídia nos dizendo quem, o que e como devemos ser. Somos levados a acreditar que, se pudéssemos ter um olhar perfeito e levar uma vida perfeita, já não nos sentiríamos inadequados.
E se eu não posso manter todas essas bolas no ar? Por que não é todo mundo que trabalha duro e vive às minhas expectativas? O que as pessoas vão pensar se eu falhar ou desistir? Quando posso parar de provar a mim mesmo?Em A Arte da Imperfeição, Brené Brown, Ph.D, é uma especialista em vergonha, autenticidade e compartilha a coragem que aprendeu em uma década de pesquisas sobre o poder de viver sinceramente.


A arte de imperfeição não é o tipo de livro que estou acostumada a ler. Prefiro livros com enredo, personagens e que eu consiga imaginar um novo mundo. Como não gosto de deixar um livro de lado apenas por um "pré-conceito" para o gênero e vencendo essa falha minha, comecei a leitura. A primeira coisa que percebi foi que o livro não é “Auto Ajuda”, e sim um “Auto Descobrimento”.

"É muito importante o quanto nos conhecemos e compreendemos, mas existe algo que ainda é mais essencial para uma vida integral e plena: amar a nós mesmos."


Brené diz muito sobre os nossos sentimentos e que devemos ser verdadeiros com eles. Não podemos ser afáveis por fora e por dentro estar remoendo antigas mágoas e tristezas. Ela comenta também sobre a vergonha, sentimento comum, mas que ninguém consegue expressar. Assim como o verdadeiro sentido da palavra amor.
O maior sentido do livro é que devemos ser autênticos, simples, viver o dia com muita paz, não nos deixando levar por sentimentos mesquinhos, compartilhar mais o dia com a família.

"Toda vez que escolhemos a coragem, tornamos todos ao nosso redor um pouco melhores e o mundo um pouco mais corajoso. E bem que o mundo poderia se beneficiar de um pouco mais de gentileza e coragem."


Brené explica de forma simples, que precisamos aceitar que temos vergonha, que não somos perfeitos, e a partir do momento que conseguimos falar com alguém de confiança sobre nossos problemas, essa sensação ruim tende a desaparecer e nos sentimos mais leves e tranquilos.

"Vergonha tem tudo a ver com medo. Temos medo de que as pessoas não gostem de nós se souberem a verdade sobre quem somos, de onde viemos, em que acreditamos, quando estamos lutando.."


Como falei, não é um livro que eu costumo ler, e acredito que não é o gênero preferido de muitas pessoas. Mas para aquele que está em busca de se auto descobrir e mudar conceitos, é uma ótima pedida.

Boa leitura! 

41 comentários:

  1. Auto-descobrimento, pra mim, está dentro do gênero de auto-ajuda.

    Muita gente torce o nariz, mas ainda acho que é mais porque saiu MUITA porcaria nesse nicho. Eu não gosto por isso, e olho sempre com desconfiança, mas já li alguns bons títulos num momento bem difícil da minha vida e me ajudou bastante a ser como sou hoje, em muitos aspectos. O problema é saber o que é bom de fato e o que é só mais do mesmo...

    De todo modo, o tema pareceu interessante!

    ResponderExcluir
  2. Oi Carla!
    Eu tenho esse livro em casa e não estava muito a fim de ler justamente por ser auto-ajuda (pra mim auto-descobrimento é a mesma coisa).
    Porém, gostei da sua resenha, fiquei até com vontade de pegar o livro. Ás vezes a gente precisa ler mensagens assim.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  3. Bem, esse também não é meu gênero preferido... está aqui na estante, vamos ver o que eu vou achar quando chegar sua vez...rss

    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  4. Oi Lil!

    Eu não coloquei como auto ajuda, pela própria escrita da autora. Ela não dá os "10 passos para a felicidade", ela apenas faz uma conversa sobre os sentimentos. E são pontos tão simples, mas que complicamos demais na nossa cabeça...

    Confesso que não sou fã do gênero, mas já li alguns livros sim. Só não é a primeira opção na compra de um livro.

    Gostei da narrativa da autora,e acredito que ajudará várias pessoas.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Sora!

    Eu não coloquei como "Auto Ajuda", por a escritora não dizer o que você precisa fazer para melhorar a vida, ela apenas conversa sobre os sentimentos que muitas vezes não queremos mostrar.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Oi Dé!

    Acredito que não é o gênero preferido de muitos kkkk

    Depois quero ler sua opinião kkk

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. É que auto ajuda, no começo, não eram esses livros com 'tantos passos pra alguma coisa'. Mas acho que o livro deve ser interessante sim. Sempre tem quem encontre ajuda assim, concorda?

    2012/5/22 Disqus

    ResponderExcluir
  8. Então, os poucos livros que li sobre “auto ajuda” era ensinando os “diversos passos para se alcançar alguma coisa”. Não que eu não ache válido, acredito que as pessoas conseguiram aprender com o livro.

    O que eu achei interessante nesse livro, é sobre a conversa sobre alguns sentimentos que não damos muita atenção. Como por exemplo, a vergonha. A maioria de nós temos, mas quem realmente trabalha esse sentimento?

    Eu sou vergonhosa por natureza o.O

    Quase morri para apresentar um trabalho...

    ResponderExcluir
  9. Eu acho que a vergonha está em níveis muito mais profundos na personalidade da gente. (e eu sempre fui a metida a besta que ia lá e apresentava as coisas, hahahah)

    Sobre os livros com passos, dá a ideia de receita pronta. É isso o que me incomoda.

    2012/5/22 Disqus

    ResponderExcluir
  10. Cara de pau... eu não tenho esse dom em mim, ainda fico totalmente gelada só de pensar em apresentar algo... quase tenho um surto antes...

    Essa história de receita pronta não me agrada, facilita muito...

    Prefiro algo para pensar, algo que eu ligue com o que acontece comigo, e eu ache a solução.

    (falar que eu sou complicada é bobagem kkk)

    ResponderExcluir
  11. ah, eu nem tchuns. vou lá e falo pra acabar logo com isso. rs.

    mas eu tb gosto de textos que realmente instiguem e provoquem a reflexão. detesto coisas mastigadas.

    2012/5/22 Disqus

    ResponderExcluir
  12. Eu ainda vou conseguir ser assim, mas concordo com você, quanto mais rápido você, mais rápido acaba o problema kkk

    Não sei, parece que livros assim com tudo mastigado, duvidam da nossa inteligência...

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ka.

    Sempre gostei de alguns livros deste gênero, mas são raras as exceções dos que realmente apreciei. Muitos me surpreenderam, por terem enredos o que dá um ânimo a mais para ler.

    Realmente, tem alguns que são complexos demais. Gosto de livros que gera uma reflexão após a leitura e você tira algum aprendizado disso.

    Concordo plenamente com o que a Lilian disse abaixo.

    Por enquanto, ainda não lerei, porque tenho que estar bem emocionalmente para embarcar na leitura, mas gostei da forma com que você se expressou.

    Beijos.

    P.S.: Finalmente, o Disqus funfou aqui. Faz dias que estou tentando comentar e não consigo. Isso está acontecendo em vários blogs. :(

    ResponderExcluir
  14. Esse não é meu gênero tb... mas até me surpreendi com a sua resenha, a ponto de dizer que se ele estivesse à mão e não tivesse mais nada para ler, eu daria uma chance....

    ResponderExcluir
  15. Oi Carla!

    Esse livro também não faz o meu gênero de leitura. Mas, pela sua resenha, acho que vou gostar.
    Parece ser interessante! :)

    Adorei conhecer o seu blog!!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  16. é exatamente por isso que o povo toma birra. a maior parte desses livros ofende a nossa inteligência. rs

    2012/5/22 Disqus

    ResponderExcluir
  17. Oi Carlinha

    To com o livro aqui para ser lido, mas to na dúvida se leio ou não, não é mesmo um assunto que eu goste apesar de já ter visto pessoas falando bem dele...

    Vanessa - Balaio
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/2012/05/promocao-as-aventuras-de-tintim.html

    ResponderExcluir
  18. Oi Carlinha!
    Essa também não é uma das minhas leituras preferidas, mas fiquei com vontade de ler!

    Bjos

    ResponderExcluir
  19. Concordo com você, alguns ofendem a nossa inteligencia kkkkkk

    Bjs!

    ResponderExcluir
  20. Oi Carlinha!

    Não é o meu gênero favorito, mas não gosto de largar uma leitura apenas por "pré-conceito" meu.

    O que achei bastante interessante com o livro, é que ela não ensina como deve ser feito algo. Ela apenas conversa, explanando como funciona os sentimentos, ao mesmo tempo que demosntra o quanto é simples resolver esses problemas.

    Que tudo basta apenas uma atitude nossa. É muito interessante isso.

    Ps: você não é a primeira que me fala sobre isso do Disqus... é complicado isso....

    Bjs!

    ResponderExcluir
  21. Oi Dani!

    Eu procurei colocar o que tem de interessante no livro. Se fosse me deixar levar pelo meu "pré-conceito", enumeraria diversar coisas negativas apenas por um gosto pessoal, o que eu não acharia certo.

    Muito obrigado pelo carinho!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  22. Oi Angélica!

    O livro é bem interessante, com certeza você terá bons ensinamentos com ele \o/

    Bjs!

    ResponderExcluir
  23. Oi Rê!

    É o que eu sempre procuro fazer, pois se fosse me deixar levar por alguns preconceitos bobos da minha parte, não teria lido ótimos livros.

    E hoje eu sei disso kkkk

    Bjs!

    ResponderExcluir
  24. Oi Van!

    Também não é o meu genêro favorito kkkk

    Demorei um pouco para ler, justamente por causa disso \o/

    Bjs!

    ResponderExcluir
  25. Oi Cá!

    Acredito que você terá ótimos aprendizados com ele \o/

    Bjs!

    ResponderExcluir
  26. Gostei!
    Não é meu estilo também, mas posso indicar!

    Bom saber o que me espera na leitura.
    beijinhos!

    ResponderExcluir
  27. Ixi pior do chicklit é esse tipo de livro "psicólogo literário" kkkk não gosto mesmo, mas como quem sabe presentear alguém ???? Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  28. Não faz o meu estilo =/
    Como a Lilian disse, acho que saiu tanta porcaria que olho torto...

    BEijoss

    ResponderExcluir
  29. Eu tbm estou lendo esse Carla, não é um tipo de livro que eu tbm esteja muito habituada a ler, mas gostei da forma que a autora escreve sempre descrevendo o livro como sua história, acho que é por isso que nâo gosto de auto ajuda, são pessoas sempre falando o que se deve fazer sem terr vivenciado a situação, não gosto disso.

    Faby - Adoro Romances de Aracaju

    ResponderExcluir
  30. Oi Lena!

    É um ótimo livro para indicação, principalmente para quem curte o gênero \o/

    Beijão!

    ResponderExcluir
  31. Oi Paty!

    Também sou mais o romance kkkkkk

    É uma ótima dica para presente \o/

    Bjs!

    ResponderExcluir
  32. Oi Gabi!

    Eu já li cada um também, que minha nossa...

    Não gosto muito desse genero também não kkkk

    Bjs!

    ResponderExcluir
  33. Oi Faby!

    Não gosto de livro que a pessoa ensina o que você precisa fazer, sabe? Tipo os "não sei quantos passos para se conquistar algo"?

    Esse tipo de livor eu não gosto.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  34. Oi Carla!
    Então, esse tipo de livro não faz nem um pouco meu estilo, gosto mesmo é romance, açucarado de preferencia. Gosto de YA, esse tipo de leitura não me atrai. Quem sabe um dia eu mude de opinião né?

    PS: Acho que darei esse livro pra minha mãe, ela adora essas coisas.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  35. Ele não vou ser eu que vou ler e resenhar porque sei que não é o meu estilo! Mas sei que quem vai ler vai adorar!!! Adorei a resenha e sinceridade!

    ResponderExcluir
  36. Você tem que dar sempre a última palavra nos comentários? *rindo muito*
    2012/5/22 Disqus

    ResponderExcluir
  37. Oi Lais!

    Também prefiro os romances, as fantasias, os suspenses, e por ai vai, tudo com história e personagens kkkkk

    Depois que a sua mãe ler, conte para mim o que ela achou do livro \o/

    Bjs!

    ResponderExcluir
  38. Oi Gabi!

    É uma ótima dica para presente \o/

    Bjs!

    ResponderExcluir
  39. Carla, esse também não é um gênero que eu costume ler... mas já li livros de auto-ajuda muito bons!
    Como já tenho esse aqui em casa, uma hora dou uma chance para ele ^^ hehehehe

    ResponderExcluir
  40. Oi Nanie!

    Você vai ler ele rapidinho kkkk

    E também não é o meu gênero não kkkkkkkk

    bjs!

    ResponderExcluir
  41. Oi Carla!! Tb não é meio estilo preferido, mas sempre procuro deixar o preconceito de lado e me aventurar. Será uma das próximas leituras. bjs

    ResponderExcluir

 
Google+