33

[Resenha] A seleção

em sexta-feira, 19 de abril de 2013


A seleção
Kiera Cass
Trilogia A Seleção – Livro 1
Editora Seguinte
361 páginas

Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. 

Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a “Seleção” é uma oportunidade tentadora.

As castas são classificadas de Um a Oito e cada um desses níveis representa o poder aquisitivo da família e qual o tipo de serviço podem prestar para a sociedade. As famílias foram classificadas conforme a contribuição de seus antepassados na reconstrução do país.

A casta Um é a realeza, a elite. 

As castas Dois, Três e Quatro são compostas por uma parcela mais favorecida da sociedade.
Da casta Cinco a Oito são compostas pelas famílias desfavorecidas. A casta Oito são os mendigos, enquanto a Seis são os trabalhadores braçais e a Cinco são os artistas (músicos, escultores, artistas em geral).

A competição, conhecida como “A Seleção”, reúne trinta cinco moças entre dezesseis e vinte anos de todas as partes do país para decidir quem se casará com o príncipe, sendo uma oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e jóias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. 

A Seleção é simples: após o preenchimento do formulário, a jovem precisa aguardar um sorteio onde as trinta e cinco garotas serão selecionadas e posteriormente enviadas para o palácio. E na convivência que o príncipe Maxon conhecerá a futura esposa, assim como, eliminará aquelas que não sentir afinidade.

Para America Singer, no entanto, uma talentosa artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Ela sabe que o romance com um rapaz da casta inferior é impossível, mas não deixa nunca de sonhar com a possibilidade de ficarem juntos.

Significa também abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.
Mas o inesperado acontece, e ela é uma das selecionadas....

Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

A Seleção escrito por Kiera Cass é um livro voltado para público jovem, que mesmo com alguns clichês, me deixou totalmente viciada. 

Como sabem, sou apaixonada por série e trilogia e sempre tenho algo novo para acompanhar. Para não fugir a regra, esse primeiro livro faz parte da Trilogia Seleção que narra as incertezas e os romances (isso mesmo, no plural) de America Singer, uma jovem de família humilde que inesperadamente, entra em uma competição para conquistar o coração do jovem príncipe Maxon. Mas vamos deixar de lado esse detalhe de se tratar de mais uma trilogia (risos).

O enredo me prendeu do começo ao fim, não consegui parar a leitura por nada. Em vários momentos eu torci pelos personagens, em outros, quis chacoalhar todos eles mostrando a verdade e onde estavam errando. Foi uma leitura angustiante, pois a cada página gostava mais da história, ao mesmo tempo em que algumas atitudes dos personagens me irritavam profundamente.

A protagonista America foi um personagem que me surpreendeu. Claro que ela é mocinha onde todos os rapazes ficam apaixonados, que sem fazer nada, conquista o coração de todos. America não é a mocinha que sonhamos algum dia encontrar nas histórias, de longe ela tem alguns comportamentos que irritam, mas entre todas as personagens descritas foi a que mais me divertiu. America apenas se inscreveu no concurso devido a insistência da mãe e do namorado Aspen. 

Sabendo que o relacionamento não teria futuro por serem de castas diferentes e querendo o melhor para America, Aspen decide deixar a garota livre para se dedicar a competição e quem sabe, se tornar uma princesa. Sofrendo pelo término do namoro, America não quer competir ou conquistar o coração de Maxon. Ela apenas deseja um momento de paz para se recuperar do relacionamento. 

Fugindo das regras e dos moldes impostos pelos organizadores da Seleção, America simplesmente fala a verdade para Maxon, sem se importa se isso terá alguma consequência. E isso desconcerta o príncipe, pois não esperava encontrar alguém que não está ali para se casar com ele. 

Mesmo com a indicativa do famoso triângulo amoroso (muito conhecido por nós leitores), confesso que pouco me importei. Em alguns momentos fiquei incomodada por esse clichê, mas notei que isso foi introduzido para deixar a trama familiar. Depois de todos os acontecimentos na história, não consigo ver Aspen como o mocinho que vai disputar o coração de America. Para mim, esse é o típico personagem que aparece apenas para deixar a mocinha ainda mais confusa em seus sentimentos. Mas apenas terei certeza nos próximos livros.

O que me cativou na história foi o romance. Conhecemos o sofrimento de America pelo término do namoro com Aspen, ao mesmo tempo, torcemos por Maxon que sempre se mostrou mais que um príncipe pomposo e metido. 

E Maxon é um fofo. Sensível, educado, prestativo, em alguns momentos ingênuo e inseguro de como conversar com uma garota, em outros mostra compaixão e uma força sem igual, indicando que será um ótimo governante para o país. Com esse seu jeito fofo de ser, Maxon conquista America e os dois descobrem sentimentos além da amizade conquistada de forma inusitada.

A história é narrada pelo ponto de vista de America, algo que eu não gosto muito nos livros, pois de certa forma, somos influenciados pelos pensamentos dos protagonistas. Enquanto eu imaginava que sofreria com os devaneios de America após término do namoro, aparece o Maxon e... quem é o Aspen mesmo?

Um ponto interessante na história é que a autora descreve um pouco do regime político de Illéa, aumentando a tensão na trama. Alguns mistérios são introduzidos durante a narrativa, como os constantes ataques sofridos pela família real. Mesmo com esses detalhes, a opressão política não é o foco da história, então não esperem maiores explicações sobre esse ponto.

Um outro detalhe que me chamou a atenção durante a narrativa é o choque de cultura entre as castas. Maxon se surpreende com a dura realidade vivida pelas castas Cinco a Oito, e quer mudar esse cenário. Aos poucos, conhecemos mais sobre cada um desses níveis, como vivem, quais seus sonhos e como a Seleção pode mudar a vida dessas garotas para sempre.

A Seleção é muito mais que um romance adolescente, com seus clichês. É um enredo que traz personagens marcantes, vívidos, que te deixam angustiada, querendo saber o que vai acontecer até o final. Uma história que tem muito a render, onde fiquei viciada e devorei o livro em questão de horas. Mas nem tudo são flores e alguns detalhes e comportamentos dos personagens irritam qualquer um.

A narrativa Kiera Cass é fluída e em nenhum momento torna-se cansativa com as descrições do “novo mundo” onde America se encontra. Posso dizer que mesmo com as falhas, fui conquistada pelo enredo e personagens e estou muito curiosa para saber o que acontecerá no próximo volume.



 

33 comentários:

  1. Eu sou team Maxon, e quero muito ler A Elite, que bom que gostou do livro, eu amei tanto que li em menos de um dia!
    http://leituramagnifica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!
      Menina, eu li o livro inteiro durante um passeio o.O
      Sério, enquanto eu esperava para chegar ao local, devorei o livro, rs.
      *a loka*
      Bjs!

      Excluir
  2. Sabe que eu não me interessei pela série, apesar das capas lindas, mas achava mesmo que seria só para as jovenzinhas, rsrs... mas li que há disponível para baixar o conto inicial que pode - e deve - ser lido antes da série, que acho que se chama 'O Príncipe', disponibilizado livremente para quem quer entender um pouco essa seleção antes de ler a série.
    Acho legal a proposta de revisitar as clássicas histórias de princesas, numa pegada moderninha. Aí lembrei da Cinderela, que passou por essa 'peneira' cruel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Manu!
      Eu não imaginava gostar da história .... ela têm vários clichês, mas não sei...fui conquistada, rs
      Adorei!
      Bjs!

      Excluir
    2. Estou achando que esse príncipe me selecionou tb, pq estou cedendo a essa série, rsrs...

      Excluir
    3. Oi Manu!
      Aaeehh! Mais uma para o grupo, rs.
      Bjs!

      Excluir
  3. Olha, eu não sinto tanta vontade assim em ler essa trilogia, pois gosto de histórias com mais ação e mistério e menos romance. As capas é que são lindas, me deixam babando.. haha

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ketelin!
      Ah...que pena...
      Realmente, a história tem mais romance do que mistério, rs.
      Bjs!

      Excluir
  4. A primeira coisa que me chamou a atenção nessa série foram ás capas que são lindas, mas depois de algumas resenhas, acredito que irei gostar do enredo, por ser essa mistura de contos de fadas com a realidade, vamos dizer assim.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marla!
      As duas capas são maravilhosas \o/
      Torcendo para você gostar da leitura \o/
      bjs!

      Excluir
  5. Oi Carla!
    As capas dessa série são maravilhosas. Eu achei legal que você comentou que a história é muito mais que um romance adolescente, tem intrigas políticas também. Quero ler!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sora!
      Eu fiquei viciada XD
      Não consegui parar a leitura por nada \o/
      bjs!

      Excluir
  6. Oi Carla, este foi um dos livros que me surpreenderam muito no ano passado. Eu não dava muito por ele.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rose!
      Ele é uma gracinha, né? Adorei a história \o/
      Bjs!

      Excluir
  7. Não dava nada para esse livro! Não ia ler, mas caiu na minha mão ... daí, por que não?! E gostei! America e Aspen são chatos ao quadrados. America e Maxon são interessantes. Tem diálogos mais bem elaborados e divertidos. Pena que algumas partes deixam a desejar ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Josi!
      É isso mesmo, alguns pontos são chatos e outros são ótimos!
      Eu fiquei viciada \o/
      Bjs!

      Excluir
  8. Esse livro é ótimo, mas juro que pensava que seria mais distopico. Eu sou TeamMaxon. Até gosto do Aspen, mas acho que ele vai acabar levando um chute mesmo. hahaha! Odeio com todas as minhas forças a Celeste. hahaha
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda!
      Até tem um tom distópico, mas não é o foco =P
      Eu confesso que fiquei viciada com a história \o/
      Bjs!

      Excluir
  9. Essa serie tá me deixando com água na boca,vontade enorme de ler... Pela resenha e os comentários parece ser muito legal...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elaine!
      Eu adorei a série, mesmo com alguns problemas na história, rs.
      Bjs!

      Excluir
  10. Quando vi esse livro pela primeira vez, pensei que se tratava de um romance por causa da capa, rsrs.
    Já li vários comentários positivos desse volume.
    Acho que a irritação acontece por ser um livro com adolescentes. Geralmente quando são protagonistas causam essa sensação, kkkkk
    Ainda não li nenhuma distopia. Quem sabe não comece por essa?

    Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gladys!
      O foco do livro não é a distopia, mesmo com alguns detalhes que são introduzidos durante a narativa o.o
      Realmente, temos mais romance na história, rs.
      Bjs!

      Excluir
  11. Estou doida para ler mas só tenho em ebook e meu tablet está no concerto. Contando os dias para chegar e poder ler essa fofura. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Naty!
      Ah! Depois me conta o que achou \o/
      bjs!

      Excluir
  12. Sou m brotinho, então esse livro é pra mim. hehhe

    A Carol (dona do blog que sou colunista) é apaixonada por esse livro, e está quase infartando por ainda não ter o segundo, eu em compensação não me sinto enlouquecidamente atraida por ele, a não ser pela capa. hahaha

    Parece ser uma historinha legal, onde em alguns momentos a gente quer espancar os personagens jovens e bobos, mas que mesmo assim a gente nao desiste deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alê!
      Eu li os dois em seguida \o/
      Não conseguia parar kkkk
      bjs!

      Excluir
  13. Eu queria tanto poder dizer que sou Team alguém, mas não consigo decidir. Quero ser Team Aspen, quero muito, mas amo Maxon e ele não deixa que eu faça isso, ehehehe.

    Quanto a sua resenha, entendo seu ponto de vista sobre achar que o Aspen nem está realmente no triângulo. As vezes penso isso também, como se ele estivesse ali só porque a America não tem certeza se quer/pode ter Maxon, mas não realmente sobre qual dos dois ela quer. Mas ao mesmo tempo eu amo tanto Aspen que quero que ele tenha uma chance, acho que ele merece isso.

    Aspen me lembra muito o Gale, de Jogos Vorazes, talvez eu apenas esteja tentando dar um final feliz ao Gale através do Aspen, vai saber... ehehehe

    Eu adorei o romance que a Kiera nos deu, mas também amei os pontos distópicos da história. Embora não tenhamos muito disso em A Seleção, o livro A Elite é recheado deles, o que me deixou muito feliz!

    E, por fim, deixo aqui um convite: também fiz uma resenha de A Seleção, no link http://migre.me/elZyt, que tal dar uma conferida? Gostaria de saber tua opinião sobre ela. :)

    Att.,
    Eduarda Henker
    Só mais um
    http://blogsomaisum.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eduarda!
      Muito obrigada pela participação e pelo convite \o/
      Vou ir lá!
      bjs!

      Excluir
  14. Parece que há muito clichês neste livro, mas a resenha me surpreendeu tanto que me motivou a ler! Vamos a mai suma leitura!! :D

    ResponderExcluir
  15. Acho que foi só eu que não gostei do Maxon ou do Aspen ou da America, para mim com quem ela ficar tá bom. Se ficar só também paciência. Esperava bem mais dolivro mas não nego que ele prende a atenção. Só que os furos na história estragou parte da minha animação. Vamos ver em Elite.

    Érica Martins
    Espiral dos Sonhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi erica!
      Ele é mais romance do que qualquer outra coisa, rs
      Bjs!

      Excluir
  16. Oi Carla!
    Eu quero muito ler esse livro. Nunca li nenhuma distopia, mas essa chamou minha atenção!
    Adorei sua resenha!
    Beijo

    ResponderExcluir

 
Google+