15

[Editora Dracaena] Lançamentos - Junho

em domingo, 26 de maio de 2013


Olá, pessoal!

Confiram os lançamentos da Editora Dracaena para junho!


Valter Abdias Albuquerque, um importante oficial do exercito brasileiro, é encontrado morto em circunstâncias misteriosas. Davi, filho distante e rebelde de Valter, inconformado com a morte repentina de seu pai, parte para uma jornada em busca de respostas.

Com o tempo, ele vai descobrindo que a realidade é muito mais terrível do imaginava. Seu pai guardava segredos que poderiam mudar o rumo da história da humanidade. Davi estaria preparado para receber tal conhecimento?
Em uma época distante, Allpamanta e Killa, dois jovens apaixonados, vivem o drama de terem sua fé abalada nos deuses, Criadores da Humanidade. Samyaza, líder dos Expulsos do céu, aproveita-se deste momento de fraqueza para tentar manter o seu legado. Seria possível contrariar as ordens dos Criadores?
Ab Origine, duas histórias dentro de um único livro, onde o fim é sempre o começo. O passado está ligado ao presente, e a origem da humanidade é o grande mistério. Páginas que nos levam à reflexão sobre para onde vamos e de onde viemos.
O autor André de Pierre baseou seu livro em achados arqueológicos e antigas escrituras de diversos povos, e qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência.


"Lúcia sentiu algo mudar quando o viu pela primeira vez, despertando em si sentimentos fortes e verdadeiros. E sempre quando encontra aqueles olhos cinza, ela sente sendo sugada a dois grandes abismos, como se ele enxergasse muito além do que é permitido, do que é aceitável. Quem é ele? E de onde veio? Toran leva uma vida cheia de compromissos e responsabilidades. Mas assim que a vê, ela passa a ser sua prioridade. Ele tem uma missão a cumprir. Ele sabe o que quer e o que veio buscar. Toran não recua. Ele avança sem pedir licença. E Lúcia? Será que deve largar tudo para embarcar nessa viagem e mergulhar de cabeça nessa imensidão de sensações? E o que é pior: estará disposta a enfrentar um bombardeio em terras desconhecidas? Sabendo que, no meio desse fogo cruzado, ela precisará se resguardar, se impor e, principalmente, sobreviver? ".
 
Há uma geração que tenta fixar alguma coisa, mas tudo queima, tudo vira fumaça.
Do olho mágico espiamos um mundo de fraqueza padecendo suas culpas – talvez as mesmas que povoam o lugar seguro que nos aprisiona. É na intimidade das confissões secretas que escancaramos nossos temores e aceitamos que nossa angústia é maior do que a vergonha.
O Intruso trata da erosão dos sentimentos e vínculos na relação entre dois jovens amigos: Mateus, dependente químico, e o narrador anônimo da história – que pincela os estágios de um duplo processo de esvaziamento. No relato introspectivo dos acontecimentos, o personagem que narra o drama tenta se desvencilhar dos laços que o prendem afetivamente a Mateus, motivado pela crescente degradação física e psicológica do amigo.
Se as recaídas constantes e a espiral de horror que atravessam a experiência dos dependentes químicos geram sofrimento nos próprios adictos, o efeito causado naqueles que cercam tais personagens também se mostra impactante.
O narrador de O Intruso tenta se libertar de sua própria memória e, de forma intensa e ligeira, cria um relato introspectivo deste que é um dos temas mais urgentes da contemporaneidade: a desumanização decorrente do vício e os sofrimentos que se multiplicam em torno do crack – ficção incontrolável sobre a qual não nos escapa o duro dever de expiar.

Apenas a sombra do réu permanece presente nas ausências. E antes fosse uma sombra vida, genuína, que se renova com o que de novo traga o dia-a-dia e a convivência, mas não, é uma sombra outra, maculada pelo filtro da memória, mera cópia — a imagem imperfeita e seletiva que temos e fazemos de quem amamos. O amor mesmo não é mais que apenas um sentir ‘nosso’, muito pouco tendo a ver com o outro, com o ser amado. No fim das contas, vivemos todos isolados e o contato nada mais é que mera ilusão. Cada um de nós vive em sua própria redoma, sua própria caixa. Somos incomunicáveis. E a mente talvez seja esta redoma, esta caixa, este cubo sem janela. Nada pode penetrar e dela nada sai. Comunicação inexiste. Fazer vibrar na caixa acústica seria talvez nossa pouca, vã e rústica tentativa de romper o silêncio e o isolamento, embora pouca nota diga, ou pouco possa dizer. Nada sai, nada pode penetrar. Sola mente só. E é certo que os cubos, por vezes, podem até arranhar um ao outro. Mas o barulho e o rangido que produzem ainda dizem pouco, muito pouco.
 
A história começa na Itália, século XVI, quando Zarteu e Romeu se encontram pela primeira vez em prol do resgate de sua irmã. Acidentalmente, Romeu a mata com um dardo em seu peito. Sua ira com Zarteu aumenta cada vez mais. Com ajuda do povo do vilarejo, Romeu mata o ser tão aterrador, mas na astúcia, Zarteu o carrega para o mundo dos mortos.

Séculos se passam e Romeu é acordado para o nosso mundo. Confuso, com medo, sem respostas e solitário, ele não vê alternativa senão procurar Zarteu e seu sepulcro.

Com a ajuda de uma mortal, Romeu começa seus planos e jornada. Com êxito ele tira Zarteu das profundezas do mar. E no primeiro encontro, o destino os carregam para França, onde a história começa. Em Paris, eles se apresentam como uma família e, harmoniosamente, viviam uma vida falsária, onde roubo e assassinatos eram constantes. Romeu se apaixona por uma mortal e com isso ele pede permissão para trazê-la ao seu mundo. Zarteu concede.

Em um surto de Romeu, ele trás uma criança ao seu mundo, contrariando seu mestre. Com isso aumenta os membros daquela família: lacaios, castelos e ciganos, tudo acontece conforme os seus destinos. Os ciganos se dividem. A parte dividida se rebela contra Zarteu e seus amigos.

Eles capturam a criança, e acidentalmente ela vira uma estátua com o nascer do sol, devido a isso, eles fogem da ira de seus inimigos. Zarteu jura vingança aos desertores e vão até o campo de batalha, onde eles se confrontam até a morte.



15 comentários:

  1. Ai, não gostei de nenhum, nem das capas.
    E convenhamos a seleção do mês teve como tema Títulos estrambolóicos? Pq minha nossa senhora das complicações, ajudai-me.
    Sorte minha que a lista não aumenta (por enquanto). hahahaha
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani!
      ahahahah nossa cartão agradece!
      Bjs!

      Excluir
  2. Também não me interessei por nenhum, mas tem capas estão bonitas. Só acho que algumas das sinopses poderiam contar um pouco mais do que se trata o livro, é a tipicia sinopse "fala, mas não fala" haha

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OiKetelin!
      Conta mas não explica nada o.O
      Bjs!

      Excluir
  3. Adorei as três primeiras capas, ficaram lindas! Das sinopses minha preferida foi a terceira, gostei da temática do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Naty!
      Mais uma para a lista de aquisições?
      kkk
      Bjs!

      Excluir
  4. O único que me interessou mais foi O intruso, que eu gostei da resenha. Das capas eu não gostei de nenhuma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafa!
      E a sua listinha acabou de aumentar, rs
      Bjs!

      Excluir
  5. Gente, só eu que amei as capas? Amo de paixão as capas dessa editora, acho sempre bem fantásticas. E os lançamentos me agradaram =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karolyne!
      Eu acho diferente as capas que eles fazem \o/
      Bjs!

      Excluir
  6. Oi Carla,mais posts de lançamentos,parabéns para a Editora Dracaena que tem como slogan:Literatura para um novo tempo,tem projetos interessantes para a publicação de livros e apoiar novos Autores,visitei o site e encontrei livros maravilhosos:O Curioso Caso de Benjamin Button,Equinócio - A Primavera,O Jardim Secreto,Legna,Ao Meu Ídolo, Com Amor...,Lady Lake,O Julgamento de Machado de Assis...
    Agora em relação às capas,não se deve julgar um livro pela capa como diz o ditado então pela sinopse escolheria ler:Zarteu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Van!
      E a lista só aumentando kkkk
      bjs!

      Excluir
  7. Infelizmente nenhum livro chamou a minha atenção, acho que a temática dos livros não me agradaram.
    Mas desejo muito sucesso os livros.

    ResponderExcluir
  8. Uaaau, me apaixonei pelas capaaaas.
    Nem li as sinopses, pq as capas ja me deixaram doida, se eu ler vou fazer loucura e gastar o que eu nao posso hahaha

    ResponderExcluir
  9. Hummmm, não fiquei interessada em nenhum desses Carla, :\

    Bjo!

    ResponderExcluir

 
Google+