18

[Resenha] Adeus, por enquanto

em sexta-feira, 17 de maio de 2013


Adeus, por enquanto - E se o amor continuasse além da vida?

Laurie Frankel 

Editora Paralela 

318 páginas

A talentosa autora de Atlas do amor inova em seu segundo romance, no qual conta a história do jovem casal que estendeu seu amor para além dos limites da vida. Não é milagre e nem magia, é pura ciência da computação. Graças ao software que Sam Elling, trabalha como programador em uma empresa de relacionamentos on-line. Sua função é encontrar para cada cliente um par ideal, mas ironicamente ele não consegue uma para namorada para si. 

Até que um dia Sam desenvolve o algoritmo perfeito, programado para ligar uma pessoa a sua alma gêmea. É então que conhece Meredith Maxwell. Eles dois são a prova de que o algoritmo funciona surpreendentemente bem. Tão bem que a empresa começa a perder clientes, e Sam é demitido por criar um programa bom demais.

Desempregado, ele decide se dedicar inteiramente, ao relacionamento com Meredith. Mas, embora ela também esteja apaixonada, não consegue superar a tristeza da morte recente de sua avó querida, Livvie. Tentando ajudá-la a lidar com a perda, Sam desenvolve um novo programa que permite a Meredith ter uma última conversa com Livvie. Para isso, cria uma projeção dela, programada para agir e responder exatamente do modo como ela costumava fazer em vida. Não é milagre nem vida após a morte, é apenas a ciência da computação.

Maravilhados com a tecnologia que têm em mãos, ela e Sam decidem oferecer o programa para mais pessoas de luto por um ente querido. Assim, ele ajuda sua namorada a superar a perda recente da avó, mas não esperava que um dia fosse precisar se tornar usuário de seu próprio programa...

Adeus, por enquanto escrito por Laurie Frankel foi um livro que me trouxe diversas reflexões. A história é envolvente e tocante, não tem como não ficar imaginando o programa criado por Sam. Em diversos trechos, fiquei emocionada com a carga emocional que a autora transmite pelos personagens e pelos temas abordados no enredo.

Confesso que em vários momentos fiquei imaginando se não era uma obra do mundo espiritual, mas me lembrava que se passava apenas de uma tecnologia. Como eu me sentiria se pudesse usar esse programa? Será que saberia aproveitar? E como isso mudaria minha concepção da morte?

Sam percebe o erro de construir um software que possibilita que as pessoas tenham conversas com aqueles entes queridos que morreram. Alguns não reagem como o esperado, e eles não sabem como agir com isso. Entendam que não uma ligação com o espírito da pessoa, é uma projeção criada pelo software. Esse algoritmo criado por Sam, utiliza de frases, emails e comportamentos das redes sociais das pessoas falecidas e com isso, cria a personalidade da pessoa. Através de todas essas informações, o software reproduz comportamentos e quem conhece o ente querido, sabe que a pessoa se comportaria dessa forma.

Alguns entendem que tudo não passa de um programa e utilizam disso para se despedir, uma forma de dizer o último adeus. Outros não conseguem, se assustam e acham que e o espírito do falecido que está ali.

A história é emocionante, triste, delicada... fiquei reflexiva com o enredo e me questionei se isso pode ajudar as pessoas em luto, ou atrapalhar ainda mais esse momento de transformação de dor em saudade.

O enredo é delicado e autora conduz com maestria um tema que pode vir a surgir no mundo atual. Com tanta tecnologia e cada vez mais detalhes do nosso cotidiano exposto pelas redes sociais, como não criar um programa que recria nossa personalidade e atitudes? E como a sociedade irá lidar com essa tecnologia? Como disse, é um tema que gera discussões e reflexões.

A história trata sobre o amor e a morte, até onde iríamos para conseguir nos despedir daqueles que partiram. Para quem gosta de histórias que envolvam romance, drama e temas fortes e impactantes, Adeus, por enquanto é um livro que fará você refletir sobre a vida, e o quanto precisamos aproveitar as pessoas que amamos, e quando pior acontece...deixá-la partir.



18 comentários:

  1. Nossa, eu nao imaginava que o livro fosse tão profundo.
    Eu esperava mais algo como uma simples distração, mas pelo q tu descreveu ele parece ser envolvente e forte.

    Gostei, quero esse aí tbm hhheh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alê1
      Sim, o livro é muito profundo! Fiquei dias com a história na cabeça \/
      bjs!

      Excluir
  2. Adorei a resenha!
    Eu não sei o que faria se esse software, e acho que isso é o mais brilhante do livro. De onde a autora tirou essa ideia?
    Não sabia que a história fosse assim tocante...

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ketelin!
      Então, eu fiquei imaginando se um software assim realmente existisse o.O
      Como será que as pessoas se comportariam com ele?
      Bjs!

      Excluir
  3. Olá Carlinhaaa!!!
    Eu tô bem interessada neste livro, mas de verdade eu não utilizaria um programa destes não. Acho que é uma ilusão desnecessária que acabaria causando muito mal.
    Mas a ideia da autora foi muito bem bolada, será que já tentaram isso? Ou ainda tentarão?
    Bj!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani!
      Honestamente, eu também não kkkk Não sei se faria bem para mim num momento desses o.o
      Realmente, a idéia é muito boa \o/
      bjs!

      Excluir
  4. Que história linda! Fiquei emocionada só de ler a resenha.
    Realmente ninguém está preparado pra morte, e para enfrentar o vazio que fica quando alguém querido vai embora, só quem passa por isso sabe.
    E gostei da idéia da criação da "Repose" muito criativo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafa!
      Sim, concordo, o vazio é imenso! Mas não sei se usaria o programa ....
      Acho que não é para mim, rs.
      Bjs!

      Excluir
  5. Gostei da ideia do livro abordar esse tipo de tecnologia, acho que não é algo que está muito longe de ser criado, o que pode trazer muitas reflexões. Mas pelo que eu entendi na sinopse e na sua resenha o livro parece muito triste e eu estou evitando esse tipo de leitura no momento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Naty!
      Confesso que sofri com livro...pela situação vivida pelo personagem...
      Sou de chorar fácil com qualquer história,rs
      Bjs!

      Excluir
  6. Achei a ideia do livro bem inovadora. Confesso que também não usaria o programa, acho que ficaria viciada e com mais dificuldade de aceitar o acontecido. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Naty!
      Eu sofreria até não querer mais kkkk
      Bjs!

      Excluir
  7. Acredito que se esse programa existisse, atrapalharia mais do que ajudaria.
    O luto é algo que todos os seres humanos estão sujeitos, já passei por esse momento e acredito que a grande maioria também.
    Se fosse possível não usaria, não acho que me faria bem e nem a ninguém. A separação de alguém que amamos é difícil, mas ficar 'vendo-a', sabendo que aquilo é um software, não acredito que ajude em nada. Seria mais um tipo de punição, sei lá...

    Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gladys!
      Concordo com você, a separação é terrível e não sei se usaria, eu sofreria ainda mais =(
      bjs!

      Excluir
  8. Oi Carla,o livro parece ser original e interessante,fiquei curiosa pela capa.
    Achei diferente a forma como a Autora tratou o tema sobre a morte.
    Realmente,ninguém está preparado pra morte,e para enfrentar o vazio que fica quando um ente querido vai embora, criar expectativas em torno de uma simulação de computador pode até ser reconfortante, mas é muita ilusão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Van!
      É uma grande ilusão o.O
      bjs!

      Excluir
  9. Realmente parece ser um romance bem forte, gosto muito desses livros que mexem com o amor e a morte, super curiosa para ler o livro! Parece ser ótimo.

    ResponderExcluir
  10. Nossa, realmente Original.
    E também concordo com as meninas. Achava que era um romance simples, meigo, mas simples. Não algo tão complexo assim. Mas parece ser bem único.

    ResponderExcluir

 
Google+