20

[Resenha] O Guardião do Tempo

em sexta-feira, 12 de julho de 2013


O guardião do tempo
Mitch Albom
Editora Arqueiro
240 páginas 
Dhor sempre foi obcecado por enumerar coisas. Quando percebeu um padrão entre o nascer e o pôr do sol – que se repetiam um após o outro, infinitamente –, ele aprendeu a contar os dias. Ao descobrir que a lua mudava de forma e depois voltava ao seu formato original, passou a contar os meses.

Sem saber, movido por uma curiosidade ingênua, Dhor estava aprisionando a maior dádiva de Deus: o tempo. E pagaria um preço alto por isso, sendo banido para uma caverna durante seis milênios.

Imune aos efeitos dos anos, passava seus dias sozinho, forçado a ouvir as vozes das pessoas implorando por mais minutos, mais dias, mais anos – querendo esticar os momentos de felicidade e encolher os instantes de sofrimento.

Depois de compreender o mal que havia criado ao fazer a vida girar em torno de um relógio, Dhor é mandado de volta à Terra com uma missão: ensinar a duas pessoas o verdadeiro sentido do tempo. Ele escolhe uma adolescente desiludida, prestes a pôr fim à própria vida, e um homem de negócios rico e poderoso que pretende desafiar a morte e viver para sempre. 

Cada um à sua maneira, eles precisam entender que o tempo é um dom precioso, que não pode ser desperdiçado nem manipulado. Para salvar a própria alma e concluir sua jornada, Dhor precisará salvá-los. Antes que o tempo se esgote – para todos.
“ – Lembre-te sempre disso: há uma razão para Deus limitar os dias do homem.”

O guardião do tempo escrito por Mitch Albom é um livro que nos faz refletir sobre a forma com que tentamos manipular o tempo. A fábula mostra que por maior que seja o nosso desejo, o tempo não mudará o próprio ritmo para atender aos nossos caprichos, e que temos um motivo para estar vivendo esse momento, que não estamos em a passeio.

O livro traz três histórias que se interligam até o final da narração: a do guardião Dhor, da jovem Sarah e do empresário Victor. A narrativa do autor é leve e fluída, o leitor concluí o livro em poucas horas. Eu simplesmente devorei toda a história, e já estou passando para outras pessoas lerem, pois traz um assunto atual, mas que não paramos para pensar.

Mitch diz com toda a propriedade que estamos amaldiçoados pelo tempo. E começo falando por mim: qual é o meu maior desejo, hoje? Que os meses "passem voando" para chegar logo dezembro e assim eu conclua a faculdade. Quem nunca desejou que o tempo passasse mais rápido? Ou pediu para todos os santos que os 60 minutos de uma simples horas se transformasse em 120?

“Tente imaginar a vida sem a contagem do tempo. É provável que você não consiga. Você sabe o mês, o ano, o dia da semana. Há um relógio na sua parede ou no painel do seu carro. Você tem uma agenda, uma folhinha, m horário para jantar ou assistir a um filme.”

Cada vez mais tentamos incluir outras tarefas em nossos dia a dia, e nunca conseguimos descobrir o porquê não temos tempo para nos divertir ou relaxar.

“À sua volta, porém, a contagem do tempo é ignorada. Os pássaros não se atrasam. O cão não consulta o relógio. Os cervos não se inquietam com aniversários.

Só o ser humano mede o tempo.

Só ser humano replica o som das horas.

E por isso só o ser humano sofre de um medo paralisante que nenhuma outra criatura suporta.

O medo de que o tempo se esgote.”

Esse é apenas um pequeno trecho do livro, e como podem perceber, é um tapa na nossa ansiedade absurda. A história narrada através de Sarah e Victor são momentos do cotidiano e é impossível não se comparar a eles. Sarah quer que o tempo passe mais rápido para que possa ver o rapaz por quem está apaixonada. Victor quer que o tempo pare, para que possa viver mais, sem a doença terminal que o atingem. Apenas Dhor, com sua experiência de 6 mil anos, mostrará para esses dois personagens qual é o real significado do tempo.

Como podem perceber, estou extasiada com o livro. Confesso que não imaginava encontrar um conteúdo tão reflexivo como o narrado por Mitch Albom. É um livro que precisa ser lido, indicado, passado para frente para que todos possam entender o que realmente significa o tempo. É um livro mais que indicado.

"- Nunca é tarde demais nem cedo demais. É quando dever ser.”


Livro ótimo!
Para participar do Comentarista da Semana, clique aqui.

20 comentários:

  1. Oi Carla!
    Eu preciso desse livro urgentemente. Sério, o assunto tratado é extremamente ótimo, nunca li nenhum parecido... O enredo parece prender tanto o leitor que só da vontade de parar de ler quando terminar o livro haha.. Sem falar que sou apaixinada por quotes, e os que foram citados aqui são simplesmente incriveis..

    *Beijos e boas leituras, Karla

    ResponderExcluir
  2. Somos escravos do tempo, isso é uma verdade! Tava lendo a resenha e percebendo o quanto o livro retrata a verdadeira realidade das pessoas em relação ao tempo, ou a falta dele. Pelo que vi voce gostou mesmo do livro, e com certeza é uma ótima indicação! Parabéns pela resenha, bjão!

    ResponderExcluir
  3. quando eu li a sinopse desse livro não gostei muito, na verdade achei muito louca! Mas pela sua resenha percebi que na verdade o livro é bem interessante e me deu até vontade de ler!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Carlinha não dava nada por esse livro, :\
    Foi para a minha listinha, rsrs.

    Bjo!

    ResponderExcluir
  5. Gosto de Mitch Albom e já li dois de seus livros, 'A última grande lição' (lindo, comovente!) e 'As Cinco Pessoas Que Você Encontra no Céu'.
    A escrita dele é bem reflexiva, faz o leitor dar uma avaliada na vida e olhar pra dentro de si. Adoro isso numa leitura!
    Sobre o tempo e sua relatividade, temo estar desperdiçando o meu, como muitos de nós achamos. Mas cada um tem um ritmo, não é? Precisamos ser responsáveis com as horas que nos foram reservadas para aprender, crescer, lutar, auxiliar...
    Quero ler esse livro.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, pelo seu entusiasmo a gente percebe que é mesmo um livro muito bom, já quero ler!

    Vanessa - Blog do Balaio
    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Não imagina que esse livro fosse tão reflexivo. Preciso urgente dele, já que estou incluída no grupo dos que reclamam que não tem tempo pra nada. rs Bjs

    ResponderExcluir
  8. Adorei sua resenha, o livro parece mesmo ótimo! Só pelos trechos que vc incluiu na resenha já dá para perceber o quanto ele pode nos fazer refletir.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Vi esse livro na livraria e gostei, acho que depois da sua resenha vai pra lista de desejos.

    ResponderExcluir
  10. Ok, eu confesso, torço o nariz para esse livro... mesmo com a sua resenha positiva e o gif super ultra fofo do Barney! hahahahahaha


    Beijos,
    Nanie

    ResponderExcluir
  11. Oi Nanie!
    ahahahah imagina! Não tem problema não gostar do livro =D
    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Oi Lena!
    A leitura do livro é tão rápida, que você nem percebe =)
    Depois me conta o que achou da história =)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Oi Ketelin!
    E olha que separei poucos, rs. Tem muito mais!
    bjs!

    ResponderExcluir
  14. Oi Naty!
    ahahahahah eu estou nessa grupo também!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Oi Van!
    Eu devorei o livro XD
    Depois me conta o que achou!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  16. Oi Manu!
    É o primeiro livro que eu leio do autor o.O
    Realmente, a história é reflexiva. Cada trecho, o autor transmite uma mensagem para leitor. É um livro para se ler mais de uma vez \o/
    É muito bom!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  17. Oi Gladys!
    Eu acho que você vai gostar do livro ;)
    Bjs!

    ResponderExcluir
  18. Oi Amanda!
    Ah! Depois me conta o que achou da história!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  19. Oi Adriana!
    Menina, se pudesse, eu aumentaria as horas do dia para fazer tudo o.O
    Sim, eu adorei o livro! É muito bom!
    bjs!

    ResponderExcluir
  20. Oi Karla!
    Leia, leia, leia! Só posso falar isso! Não tem como não gostar da história!
    Bjs!

    ResponderExcluir

 
Google+