4

[Resenha] Homem da Lei

em quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014




Homem da Lei
Diana Palmer
Editora Harlequin

Perigos e desejos se chocam em mais um romance emocionante de Diana Palmer!

Quando Garon Grier, agente do FBI, comprou um rancho em Jacobsville, desejava somente resolver alguns problemas de família. Afinal, ele era um lobo solitário, e não estava em busca de amor.

Grace Carver foi criada nessa pequena cidade do Texas, e, devido a problemas na juventude, jamais pensou em se casar... até conhecer Garon.

Duas pessoas unidas pela investigação mais difícil da carreira dele: a caçada a um assassino de crianças. Agora, Garon, um homem da lei, e Grace, uma mulher com marcas do passado, enfrentarão um louco à solta ao mesmo tempo em que se esforçam para apagar cicatrizes do coração.

Garon Grier, um agente do FBI, não esperava se sentir atraído pela retraída vizinha, Grace Carver. Ela não tinha nenhum atrativo, não usava maquiagem, vestia-se com roupas largas e parecia temer ser tocada. O que Garon não sabia era que Grace havia sofrido o inferno doze anos atrás e precisava viver com o passado ainda marcado no corpo.

Mesmo com todos os traumas do passado, Grace é uma personagem forte e tem uma língua afiada, que desconcerta Garon várias vezes. O ogro no começo, até tenta afastar a moça, mas a culpa o remorso por tratá-la mal faz com que ele comece a ser simpático com ela, e quando menos percebe, se sente atraído pela forma meiga que ela o trata.

Mas, como é previsível nas histórias, ele não quer se envolver profundamente com a mocinha, e depois que dá todos os indícios dos seus sentimentos, resolve cortá-la da sua vida de maneira brusca.

Agora entendo quando dizem que existe uma relação de amor e ódio com as histórias da Diana Palmer. Não tem como não odiar a “ogrisse” de Garon quando ele começa a agredir verbalmente Grace para que ela se afaste dele. Eu queria estapear ele por essas besteiras e a Grace também, por ficar quieta e não falar nada. Ele só não contava que a pequena cidade se revoltaria com ele, e começa fechar as portas para sua presença.

Mesmo com todas essas atitudes idiotas, acabei ficando com dó do personagem e achei que Garon não aguentaria até o final da história, quando algo parecia que iria melhorar, logo vinha mais um problema que abalava as estruturas dele. Gostei da redenção dele, e foi muito fofa as cenas em que ele quase morre de preocupação.

Mesmo que a minha lista de livros lida da Diana Palmer seja bem pequena, algumas particularidades conseguem se notar: como as atitudes estúpidas e muito grosseiras dos ogros em questão, assim como a falta de atitude das mocinhas. Mas não consegui largar nenhum dos livros, e os finais são as coisas mais fofas. Só posso dizer que agora entendo essa relação amor e ódio com as histórias \o/

Nota:
 



4 comentários:

  1. Aline Cristina Maziero6 de fevereiro de 2014 20:09

    oi Carla, tudo bom?Minha lista de livros de DP tbm é curta, o pessoal vive no ame ou odeie e eu ainda não decidi. Mas vou ler mais e quero chegar nesse, até pq adoro a série das Rainhas do Romance.
    www.letrasdesonho.com.br

    ResponderExcluir
  2. Clichê. Sim, e não curto clichês.
    Acho que é por isso que os livros da editora não me atraem tanto assim.

    ResponderExcluir
  3. Concordo que os ogros da DP são mega irritantes e estúpidos. XD
    Caminhos do Coração eu queria esganar o Quinn. XD
    Esse parece bem legal, uma mocinha sofrida, mas de língua solta, deve desconcertar bastante o metido a machão. hihi

    Adorei!!!

    ResponderExcluir
  4. Como eu já comentei em outro post, os livros da Harlequin não me chamam a atenção e esse não foi diferente. :/

    ResponderExcluir

 
Google+