3

[Resenha] O Canto das Sereias

em quinta-feira, 27 de março de 2014


O Canto das Sereias
Série Tony Hill e Carol Jordan – vol. 01
Editora Bertrand
Val McDermid
488 páginas

O Canto das Sereias escrito por Val McDermid é o primeiro volume da série policial onde traz como protagonistas os personagens Tony Hill e Carol Jordan. Esse primeiro volume foi aclamado pela crítica e recebeu prêmio devido a criação do assassino e sua natureza polêmica.

Na trama, acompanhamos as crueldades insanas de um seria killer que é conhecido por abandonar suas vítimas em locais de público gay. As mortes são planejadas e executadas com tamanha frieza que nenhuma pista é deixada para trás. Os corpos são limpos antes de serem deixados nos locais, sem qualquer identificação ou bilhete. O assassino sente-se inspirado após a visita de um museu sobre artefatos de tortura, e com isso, cria seus próprios objetos para usar nas vítimas.

“Quando percebi que teria de me tornar homicida, a lembrança do museu de tortura surgiu diante de mim como uma musa. Sempre trabalhei bem com as mãos.”

Como existem poucas pistas para resolver o caso, e a própria polícia se recusa a admitir a existência de serial killer, o psicólogo Tony Hill é convocado para ajudar na investigação. Tony é um especialista em criar perfis criminais, e mesmo com recepção negativa de alguns policiais, ele não hesita em aceitar a proposta. 

“- Porém, às vezes, nós analistas criminais vemos as coisas de modo diferente – disse. – E essa nova perspectiva pode fazer toda a diferença. Mortos contam histórias, e as histórias que eles contam aos analistas não são as mesmas que contam aos policiais”.

Com a ajuda da detetive Carol Jordan, sua missão é entrar na mente do criminoso e estabelecer um perfil que possibilite desvendar sua identidade. No entanto, ele se espanta com a crueldade das mutilações sexuais que as vítimas sofreram.

Com capítulos alternados entre a perspectiva dos protagonistas e do assassino, acompanhamos essa história de investigação e suspense que impressiona desde a primeira página. O assassino encontrou sua vocação no crime após a visita ao museu, e utiliza dessa inspiração para utilizar métodos de tortura do período medieval. Em alguns casos, ele chega a testar os aparelhos criados em outros seres, para alcançar a sua idealização.

Tony é um personagem impressionante, que estuda a mente do assassino, enquanto tenta não se deixar envolver com a mente perturbada. A interação entre o psicólogo e a polícia é delicada, pois eles não acreditam que Tony consiga elaborar algo que os ajude na investigação. Tony analisa os fatos que antecedem o crime, o motivo para fazer algo, ou a escolha do local ou da vítima. Suas analises são detalhistas e impressionam com as descrições. 

“ – (...) Quando ele analisa um crime, ele não está interessado em todas essas coisas. Ele quer saber por que as postas físicas aconteceram daquela determinada maneira para que possa descobrir quem cometeu o crime. É como se nós usássemos a informação para nos mover para frente e ele a usa para movê-lo para trás.” 

Mesmo com todas as qualidades e dedicação pelo trabalho, Tony é uma pessoa perturbada pelo próprio passado, o que reflete em algumas situações no presente.

Carol é uma detetive que tenta mostrar sua força e inteligência em um meio masculino. Ela quer o respeito dos seus colegas, e se esforça para mostrar que ela pode fazer aquele serviço. Quando começa a interagir com Tony, ela nota que ele tem muito a contribuir com o caso, devido a todos os detalhes que ele analisa. A química entre o casal é palpável, mas ambos sabem e entendem das complicações que podem existir no relacionamento.

A história é intensa, e a autora não poupa nos detalhes. Em alguns momentos, o leitor precisa parar a leitura e respirar fundo para ler os capítulos protagonizados pelo seria killer. 

O sucesso do livro foi tanto que foi adaptado para a televisão. Com o título brasileiro de Rastros da Maldade (Wire in the Blood), a produção conta o elenco de Robson Green como Tony Hill, e Hermione Norris como Carol Jordan. Eu já assisti quase toda a série, e posso dizer que vale a pena cada episódio. 

A série é composta atualmente por oito livros, e confesso que não vejo a hora de ler a publicação do segundo livro. É um livro intenso, com um caso perturbador, com descrições que mexem com o psicológico do leitor. O Canto das Sereias é um livro que precisa ser apreciado página a página. Para os amantes de suspense, investigação e psicologia criminal, não podem perder o lançamento desse livro.


Série Tony Hill e Carol Jordan
- The Mermaids Singing – O Canto das Sereias
- The Wire in the Blood
- The Last Temptation
- The Torment of Others
- Beneath the Bleeding
- Fever of the Bone
- The Retribution
- Cross and Burn


Nota:
 



3 comentários:

  1. Oi Carla, amo uma boa história policial, e pelo visto não foi a toa que este livro ganhou o prêmio. Dica mais do que anotada!
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Sou fã de livros policiais e o que tá me faltando é uma boa dose de mistério e suspense. Acho que essa história é uma ótima pedida e já sei que quero. Adoro essas histórias com alto teor psicológico e acho que além da história, a escrita conta muito, né?! Já está nos meus desejados e leituras futuras. Só não entendi o porquê do título... Deve ter uma explicação no livro, né?

    ResponderExcluir
  3. Carlinha...Adoro livros policiais... Ainda não li nada do escritor, mas todos os comentários que vejo são positivos! Estou curiosa,e apesar de estar fugindo de sérias esta é uma que com certeza vou querer conferir.
    beijos ♥

    ResponderExcluir

 
Google+