2

[Resenha] O Clube de Boxe de Berlim

em segunda-feira, 31 de março de 2014


O Clube de Boxe de Berlim
Robert Sharenow
Rocco Jovens leitores
385 páginas

O Clube de Boxe de Berlim escrito por escrito por Robert Sharenow é um livro tocante, onde não consegui parar a leitura por nada.

Estamos no ano de 1934 e conhecemos o jovem Karl Stern que está passando um período conturbado na escola, por verem ele apenas como um judeu. Ele não se considera como um, já que nunca entrou em uma sinagoga e seus pais não serem pessoas religiosas. Mas os valentões da escola na era nazista não querem saber se a família de Karl pratica ou não a religião. Com isso, não hesitam em espancá-lo e humilhá-lo.

Todo machucado e humilhado, Karl ainda precisa ajudar o pai na galeria a atender os visitantes e quem sabe, vender algum quadro. Karl conhece Max Schmeling, campeão de boxe e herói alemão, que vendo a situação em que se encontra o garoto, faz um acordo para treinar Bose para se defender da “Juventude Hitlerista”. Karl encontra no esporte a paixão que o ajuda a ganhar coragem não só no ringue, mas na difícil vida for dele.

Karl começa assumir um novo papel quando a violência nazista contra os judeus se agrava, ele precisa proteger a sua família. Max é a pessoa mais indicada para ajudá-los, mas a fama de pugilista o obriga a associar-se com a elite nazista, e Karl começa a questionar se pode mesmo confiar no professor.

Será que diante de tantas perdas, Karl também precisará abrir mais de sua paixão para garantir a sobrevivência da família?

Como nota do autor, O Clube de Boxe de Berlim é uma obra de ficção que tem como pano de fundo acontecimentos históricos. Max Schemeling de fato resgatou dois garotos judeus, e embora não seja a história desses meninos, o autor se inspirou para pesquisar mais sobre esse período.

É impossível não começar a leitura já com um nó na garganta, pois para mim, o período em que se passa a história, foi um dos mais sombrios da história da humanidade. O livro é para o público jovem, mas agradará todas as idades.

Eu fiquei encantada com a coragem da família de Karl assim como de todos os judeus, que tentavam sobreviver em uma cidade onde eram considerados menos que um animal. Não vou mentir, eu me revoltei com a atitude intolerante de alguns, ao mesmo tempo, fiquei enternecida com a atitude de outros. A solidariedade se faz presente em diversos momentos da família Stern, e conseguimos ver quer mesmo diante de atos de crueldade, existiu seres humanos que se mantiveram íntegros em suas convicções.

A história é comovente, tocante, que nos mostra uma pequena parcela do que foi o período nazista em Berlim. Mesmo com o enredo que incomoda e nos faz sofrer por saber da veracidade dos acontecimentos, é um livro que eu indico a todos. De leitura obrigatória, o enredo nos traz a importância do esporte e o quanto ele pode moldar para melhor, as atitudes de qualquer pessoa.

“- Nem todos os alemães são iguais, Karl – disse ele. – Isso vai passar.”

Nota:
 



2 comentários:

  1. A proposta desse livro me lembrou um filme que assisti recentemente. Se chama "The Power Of One" que eu recomendo, já que se você gostou do livro, provavelmente vai gostar bastante do filme! Esse livro já está nos meus desejados e eu espero ter a oportunidade de lê-lo em breve.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha Carla. A Segunda Guerra Mundial e toda a crueldade semeada por Hitler neste período é uma enorme fissura na história da humanidade. O livro tem uma temática bastante forte e claro, realista, e achei interessante o autor mesclar o boxe com a perseguição dos judeus. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir

 
Google+