3

[Resenha] Amber House

em quinta-feira, 24 de abril de 2014


Amber House
Kelly Moore, Tucker Reed e Larkin Reed
Editora Jangada
350 páginas

Amber House é o primeiro volume da trilogia Amber House escrito por Kelly Moore, Tucker Reed e Larkin Reed, que traz um romance com suspense e mistério.

Sarah Parsons nunca tinha pisado em Amber House, a imponente propriedade pertencente à família há três séculos. Com o falecimento da avó que pouco conheceu, Sarah com o irmão mais novo, Sammy, e a mãe, passam alguns dias na mansão para resolver todas as pendências necessárias para colocá-la a venda. A casa é espetacular, com labirinto de sebes, sótãos secretos, salão de baile, e até esconde um magnífico tesouro deixado por um dos antepassados de Sarah.

Quando Sarah, sua mãe e irmão se instalam em Amber House, a garota conhece Richard, um jovem lindo e sedutor que faz de tudo para agradá-la, apresentando um mundo de riquezas e privilégios. Sarah também conhece o enigmático Jackson, que a convida a explorar a casa para encontrar os diamantes.

Conforme Sarah começa a visitar os cômodos de Amber House, ela percebe que consegue ter visões da história da mansão – sua mãe ainda garotinha, amorosa e feliz, ou sobre o cruel capitão que perdeu as pedras preciosas. Aos poucos, Sarah começa a desvendar a verdade sobre os crimes e traições que se escondem no passado de Amber House.

Onde estariam os diamantes? O que aconteceu para que a mãe se tornasse uma pessoa infeliz e amargurada? Qual é o passado escondido em Amber House?

Com uma narrativa leve e envolvente, acompanhamos uma protagonista normal e sem frescura na busca para desvendar o mistério que se esconde em Amber House. Sarah quer conhecer mais sobre o próprio passado e assim aproveitar o pouco tempo que tem na mansão antes que ela seja vendida. Ao mesmo tempo, sente-se curiosa para saber o que aconteceu com a mãe e a avó para elas terem se afastado.

O irmão caçula de Sarah, Sammy, é um charme. Extremamente sensível, ele percebe quando Sarah precisa de sua companhia, e tem um sexto sentido aguçado que apenas as crianças têm.

Entre os dois mocinhos apresentados, Jackson foi o que me conquistou com sua maneira simples e misteriosa, envolvendo Sarah em sua busca com os diamantes. O mocinho não conquista no primeiro momento, mas no decorrer da história, é impossível não notar que a presença está cada vez mais marcante.

Por mais que os leitores imaginem que teremos um triângulo amoroso durante a história, isso não acontece. O romance é sutil, se desenvolve aos poucos, mas não é o foco do enredo. As autoras evidenciaram o sobrenatural e o mistério na trama, e o romance ficou em segundo plano.

As autoras trabalharam de forma surpreendente o sobrenatural, com a visão do passado e os acontecimentos com alguns personagens na infância. Sarah tem a capacidade de ter essas visões, através do toque ao objeto ou apenas ao adentrar em determinado local. Como na psicometria, onde o indivíduo consegue sentir os sentimentos e sensações do antigo dono de determinado objeto.

O final acaba de forma surpreendente, e estou roendo as unhas para saber mais sobre o próximo volume da série. É impossível segurar a ansiedade! Mesclando suspense, mistério, aventura e um romance sutil, Amber House é uma história surpreendente que envolve o leitor do começo ao fim. 

Nota:
 



3 comentários:

  1. Oi, Carla.

    Me interessei por esse livro logo no lançamento. Enfim devo dar uma chance e ver o que acho, gostei muito da sua resenha de verdade.

    Beijos!
    http://www.apaixonadaporromances.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela resenha Carla! Já li Amber House e amei! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  3. Comprei esse livro na Bienal, mais ansiosa agora para ler.
    Ótima resenha Ká!

    ResponderExcluir

 
Google+