3

[Resenha] Sempre Teremos o Verão

em quarta-feira, 28 de maio de 2014
Sempre Teremos o Verão
Verão - Livro 03
Jenny Han
Galera Record
319 páginas

Sempre teremos o verão escrito por Jenny Han é o último volume da trilogia Verão, que conclui a história de Belly com os irmãos Conrad e Jeremiah.

Belly sempre esteve dividida entre os Fisher. Mas isso parecia ter ficado no passado. Conrad, seu primeiro amor, se tornou apenas uma recordação. Desde o seu afastamento, ele nunca mais entrou em contato, ou então revelou o que sentia por ela.

Agora, era Jeremiah quem ela amava, era com ele que Belly imaginava o futuro. Jeremiah sempre foi o melhor amigo, aquele com quem ela dividia os segredos, onde a relação sempre foi única. Mas por um momento inconsequente, a felicidade do casal pode estar com os dias contados.

Temendo a separação e procurando fortalecer a confiança entre eles, Jeremiah e Belly resolvem se casar, mas precisarão enfrentar a todos da família que são contra ao casamento deles. Eles são jovens, estão iniciando a vida universitária, não tem emprego, casa... apenas tem um ao outro.

Mas quando Belly retorna à casa de praia e reencontra Conrad, antigos sentimentos vêm à tona. Com o dia do casamento se aproximando, as incertezas só aumentam. Seria possível voltar atrás? Ou melhor, seria o certo a fazer? Mais uma vez ela está na casa de praia, dividida entre os dois únicos meninos que já amou. Belly está mais madura e se vê diante de uma importante decisão que mudará sua vida e a dos Fisher para sempre.

Conforme confessei na resenha do primeiro volume, eu segurei a leitura dessa trilogia imaginando não gostar do romance criado pela autora. Assim que iniciei, fiquei feliz em ter esperado, pois não sei como aguentaria aguardar a publicação dos volumes para saber o destino dos personagens. Quando terminei o segundo livro estava com o coração na mão, não acreditando nos rumos que a autora tinha optado pela trama, e estava com medo do que encontraria na conclusão.

Belly e Jeremiah mostram-se o casal perfeito, onde um acompanha o outro no que precisa, a amizade e o companheirismo entre eles esta cada vez mais forte. Mas é evidente que eles ainda não estão maduros para o relacionamento.

Quando Jeremiah propõe casamento para Belly, nenhum deles parou para pensar na importância do ato. Para fortalecer a confiança que estava fraca entre eles, o casal não imaginou quem eles poderiam ferir com essa atitude.

Enquanto Belly pensa em tudo para organizar um casamento simples, Jeremiah leva tudo na brincadeira, mostrando sua imaturidade. Ele parece uma criança que não quer perder o brinquedo favorito, e fiquei irritada com algumas de suas atitudes.

Conrad está mais maduro, perdeu aquela raiva que demonstrava nos livros anteriores. Tenta de todas as formas esconder os sentimentos que nutre por Belly em respeito ao irmão, mas é impossível não se sentir arrependido por ter afastado a única garota que sempre amou.

Neste volume, a autora nos brindou com alguns capítulos narrados pelo ponto de vista de Conrad, e podemos entender mais das atitudes desse personagem.

A narrativa continua recheada de intensidade, sentimentos, tristeza, nostalgia... eles estão se tornando adultos e agora suas atitudes tem consequências maiores que eles podiam imaginar.

A autora conseguiu fechar essa trilogia com chave de ouro, e não vou mentir, a depressão pós-leitura bateu forte e está difícil me despedir dos personagens. Confesso que desejei um epílogo maior para o encerramento para saber mais dos personagens, mas tirando essa pequena queixa, não tenho nada a reclamar da história.

A Trilogia Verão ficará marcada na memória onde encontrei personagens imperfeitos, imaturos que estão se descobrindo para a vida adulta. Com atitudes infantis e algumas irritantes, acompanhamos o amadurecimento dos sentimentos desses três personagens que tanto nos conquistaram desde o primeiro volume.


Com uma escrita delicada, Jenny Han criou uma história única e inesquecível. É uma leitura obrigatória para todos que assim como eu, adoram romances complicados e emocionantes. Com aquela dor característica para o momento, me entristeço em despedir dos personagens. Agora é tentar encontrar um livro a altura que me faça sair dessa depressão pós-leitura (risos).

Nota:



3 comentários:

  1. eu amei toda a premissa desse romance, espero q nao tenha muito sobre triangulo amoroso pq eu estou cansada dessas protagonistas q nao sabem quem amam u.u acredito q cada pessoa so ame um de cada vez! mas gostei do livro e acho q lerei sim

    ResponderExcluir
  2. Oh Carambolas!!!
    Essa resenha do final me deixou querendo ler para ontem. kkkk.
    Conrad vai aparecer numa hora para lá de inoportuna, noivas já vivem estressadas e com um antigo amor rondando é para enlouquecer.
    Me pergunto o que a Belly vai decidir... seguir ou desistir com o casamento. Ai, aiiii.

    ResponderExcluir
  3. Amei os dois primeiros livros, mas esse terceiro volume, para mim, foi um pouquinho decepcionante. Acho que toda a imaturidade do Conrad foi desculpada muito fácil, o que ele aprontou com a Belly nos dois primeiros volumes foi ridículo(principalmente no baile de formatura). Nesse livro a imaturidade dos três personagens é nivel hard! A Belly perdoou o Jere muito rápido, bastou ele pedi-la em casamento, o Jere a pediu somente pra ser perdoado, o Conrad realmente via a Belly exatamente como a Taylor descreveu, um brinquedo. Quem deu as cartas desde o início da história foi o Conrad, ele fez o que quis, não achei justo com o Jere, que é um fofo, apesar da imaturidade. Mas o livro é maravilhoso sem dúvida, Jenny Han é o máximo! Esperando ansiosamente pelo 3 volume do Para todos os garotos que amei, que é nota 1000!!!

    ResponderExcluir

 
Google+