4

[Resenha ] Querida Sue

em sábado, 14 de junho de 2014
Querida Sue
Jessica Brockmole
Editora Arqueiro

Março de 1912: Elspeth Dunn, uma poetisa de 24 anos, nunca viu o mundo além de sua casa na remota Ilha de Skye, na Escócia. Por isso fica empolgada ao receber a primeira carta de um fã, David Graham, um estudante universitário da distante América. Os dois começam a trocar correspondências – compartilhando os segredos mais íntimos, os maiores desejos e os livros favoritos – e fazem florescer uma amizade que, com o passar do tempo, se torna amor. Porém a Primeira Guerra Mundial toma a Europa e David se oferece como voluntário, deixando Elspeth em Skye com nada além de esperanças de que ele sobreviva.

Junho de 1940: É o início da Segunda Guerra Mundial e Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Real. A mãe a adverte sobre os perigos de se entregar ao amor em tempos de guerra, mas a jovem não entende por quê. Então, durante um bombardeio, uma parede de sua casa é destruída e, de dentro dela, surgem cartas amareladas pelo tempo. No dia seguinte, Elspeth parte, deixando para trás apenas uma carta datada de 1915.

Com essa única pista em mãos, a jovem decide ir em busca da mãe e, nessa trajetória, também precisará descobrir o que aconteceu à família muitos anos antes.

Querida Sue escrito por Jessica Brockmole foi um dos livros únicos e inesquecíveis que já tive o prazer de ler.

A história é narrada através de cartas e a poesia é presente em todas as páginas. Cada página, descobrimos mais sobre a vida dos personagens, e essa descoberta gradativa faz com que os tornemos pessoas reais.

As duas histórias acontecem entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, fazendo com que o leitor fique com os sentimentos em frangalhos tentando imaginar como ficará cada personagem.

A emoção está presente em todos os momentos, e nos apaixonamos junto com os protagonistas. Com cada imperfeição, tristeza, dúvida, alegria, sentimos que estamos acompanhando a história de um amigo querido, que trouxe para nós a história da sua vida.

A distância não existe para os personagens, e cada carta, podemos evidenciar que o sentimento entre eles está cada vez mais forte. São personagens imperfeitos que não imaginavam que iriam se apaixonar.


Com uma narrativa que não falta emoção, que faz sofrer, vibrar, chorar, Querida Sue emociona todos os corações, deixando o leitor com a alma leve e feliz, com a esperança que independente da situação ou da distância, o amor sempre vence qualquer obstáculo.

Notas:



4 comentários:

  1. Que bonitinho o fato do sentimento permanecer forte mesmo com a distância. Se bem que esse tipo de escrita com a história se desenrolando em cartas, não faz mto meu estilo. Sou mais apegada ao narrador-observador. Mas parece ser mto bom para quem curte o estilo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi!
      Eu gostei da forma que foi narrada a história, bem diferente do que estamos acostumados \o/
      Bjks!

      Excluir
  2. Preciso dizer que depois de ler esse livro, fiquei sem palavras! Uma leitura totalmente diferente de tudo que já tinha lido. Fiquei apreensiva com a narrativa em cartas, mas confesso que fiquei surpresa ao ver como a história desenrola (e muito bem), apenas com as cartas. É emoção da primeira a última página (que terminei chorando hehehe). Amei, apaixonada pelo livro!

    ResponderExcluir

 
Google+