3

[Bertrand Brasil] Lançamentos - Outubro

em domingo, 19 de outubro de 2014
Olá, pessoal!

Vamos conhecer os próximos lançamentos da Bertrand Brasil? Confiram:

Depois de se mudar para o solar Elvesden, Red começou a usar seu nome verdadeiro, Rowan, e a fazer o possível para começar uma vida nova. Só que andar na linha está sendo mais difícil do que ela esperava, principalmente porque os mensageiros das fadas não a deixam em paz – não importa quantas proteções mágicas use para mantê-los afastados. 
Perseguida por aqueles que gostariam de vê-la novamente no mercado de changelings, Rowan também é assombrada por pesadelos com o chalé da Bruxa Solitária e o prisioneiro Eldritch, que jurou vingança quando a menina o deixou para trás. Ao chegar à mansão para passar as férias, Tanya percebe que existe algo de errado com a amiga e decide descobrir o que ela está escondendo. Mas, quando o passado começa a perseguir Rowan, obrigando-a a embarcar em uma perigosa missão, será que Tanya conseguirá ajudá-la?

Conhecido mundialmente por suas séries best-sellers, como Ramsés e Mozart, Christian Jacq apresenta Caça ao homem, primeiro volume do díptico A Vingança dos Deuses. A saga foi considerada pela crítica francesa e pelos fãs o melhor livro do autor em anos, tendo figurado em posição de destaque nas listas de mais vendidos da França. O escriba Kel acordou e correu até a janela do quarto. Pela posição do sol, a manhã já estava bem avançada. Ele, considerado superdotado em inteligência, acreditou que seria castigado por seu indesculpável atraso. Mas, ao chegar ao local, uma visão de horror o paralisou: seus companheiros de trabalho tinham virado cadáveres. 

O filósofo, educador e escritor Roger-Pol Droit, após vários livros de sucesso e reconhecimento da crítica de todo o mundo, apresenta, como o próprio afirma, talvez sua obra definitiva: Se só me restasse uma hora de vida. Esse pensamento, tão urgente e profundo, surge em algum momento da vida de cada pessoa, colocando em perspectiva todas as suas prioridades. Mas e se essa fosse mais do que uma simples suposição?  Em Se só me restasse uma hora de vida, o autor salienta a importância de saber e a necessidade de aceitar que, sobre as questões essenciais, todos ignoram absolutamente tudo. Os indivíduos possuem crenças e convicções sobre a morte, sobre a vida após a morte ou o nada, mas não conhecimentos realmente verdadeiros. Em um mundo onde reinam os especialistas, ele crê como imprescindível admitir a ignorância em relação a essas questões fundamentais. Conclusão: ninguém está preparado para morrer. Quando o momento crucial se aproxima, a reação será sempre a de revolta. Hoje, sabe-se que a morte é inevitável, mas todos optam por não pensar no tema. É necessário reencontrar essa preocupação, não de maneira mórbida, mas porque o fato de ser mortal dá sentido à vida. Se só me restasse uma hora de vida exprime o essencial do que Roger Pol-Droit quer transmitir: se um ônibus o esmagasse amanhã, ao menos isso está feito.

O autor estreia no Brasil com romance vencedor do Prêmio Fenice Europa e do Prêmio Literário Francesco Alziator. Com a escrita firme, burilada e muito límpida, característica de seu estilo, Nicola Lecca cria uma elegante fábula contemporânea capaz de mergulhar nos paradoxos, na solidão e nas hipocrisias da sociedade de consumo.

Entre os livros mais vendidos na lista do The New York Times, "A vida como ela era" é o primeiro volume da tetralogia Os Últimos Sobreviventes Próximos títulos: - Os vivos e os mortos. - O mundo em que vivemos - A sombra da lua Ao ser lançada nos Estados Unidos, foi prontamente comparada aos Jogos Vorazes. Direitos vendidos para o cinema. Quando Miranda começa a escrever um diário, sua vida é como a de qualquer adolescente de 16 anos: família, amigos, garotos e escola. Suas principais preocupações são os trabalhos extras que os professores passaram – tudo por causa de um meteoro que está a caminho da Lua.  Ela não entende a importância do acontecimento; afinal, os cientistas afirmam que a colisão será pequena. Mas, mesmo assim, acredita que esse será um evento interessante a se observar, com binóculo, do quintal de casa.  Para surpresa de todos, o impacto da colisão é bem maior do que o esperado, e isso altera de modo catastrófico o clima do planeta. Terremotos assolam os continentes, tsunamis arrasam os litorais e vulcões entram em erupção. Em 24 horas, milhões de pessoas estão mortas e, com a Lua fora de órbita, muitas outras mortes são previstas. Os supermercados ficam sem comida, e Miranda e sua família precisam, então, lutar pela sobrevivência em um mundo devastado, onde até a água se torna artigo de luxo.

O perdão é, por definição, o processo espiritual de cessar o sentimento de raiva por alguém. Uma remissão de culpa. Em seu novo livro, O perdão imperdoável, a poetisa Maria Carpi, corajosamente, inverte esta visão, afirmando que esta dor só será minimizada no momento em que cada um aprender a se perdoar. Segundo a autora, o ser humano preocupa-se constantemente se o outro o desculpou por algo, esquecendo-se, com isso, ser mais importante estar bem consigo mesmo, ou seja, saber se ele próprio se perdoou. O ideal é aceitar sua falha. Por outro lado, ninguém se absolve totalmente, estando, assim, sempre em dívida consigo mesmo. Se os indivíduos só estarão em paz ao aceitar o erro, como será a vida caso este perdão seja irredimível? Por meio de poemas sensíveis, mas ao mesmo tempo, afiados, Maria argumenta que, provavelmente, o perdão é o sentimento mais complexo do ser humano. Para melhor compreender esta questão, ela propõe uma reflexão a respeito do amor, e questiona: estarão as pessoas prontas para amar e serem amadas? Só assim elas conseguirão aceitar a culpa.

Os grandes impostores: as verdadeiras histórias por trás de famosos mistérios históricos, de Jan Bondeson, diferentemente do sensacionalismo de muitas obras a respeito de segredos célebres e controversos, apresenta um estudo sério e respeitado de casos sem explicação. O autor utiliza todo o seu conhecimento médico e seu juízo criterioso para analisar grandes mistérios não resolvidos envolvendo as mais controversas personalidades dos últimos duzentos anos. Bondeson aborda enigmas como a lenda do Czar Alexandre I, que teria falsificado a própria morte e virado um eremita; o importante mistério Druce-Portland, hoje uma peça esquecida da história britânica; e o suposto falecimento do filho de Luís XVI com Maria Antonieta. Com um texto ágil e conciso, aliado a dados incontestáveis, o autor criou uma obra de não ficção com ritmo bastante ágil, em que o leitor não conseguirá parar até terminar. Provas como testes de DNA, presentes nos casos do Delfim e de Kaspar Krause, o garoto que apareceu em Nuremberg, em 1828, após ter passado toda a vida numa masmorra subterrânea, mudam completamente o rumo de várias lendas da humanidade. 

É noite de Halloween numa pequena cidade do meio-oeste americano. Oito garotos vestem suas fantasias e saem às ruas em busca de Gostosuras ou Travessuras. Oito garotos... Mas não deveriam ser nove? Onde está Joe Pipkin, o menino mais incrível que já existiu, o mais amável e admirável entre todos? Não pode ser... Sem Pipkin, o Halloween não será o mesmo. Na expectativa de encontrar o amigo, Tom Skelton e o restante da turma decidem explorar a casa mal-assombrada do outro lado da imensa ravina. Uma construção horripilante, grande e sombria, com mil janelas empoeiradas e chaminés que escurecem ainda mais o céu com sua fumaça fuliginosa. Diante do tenebroso casarão, os garotos nem imaginam que estão prestes a conhecer seu misterioso morador, sr. Montarlha, um homem alto, de rosto pálido e sorriso maligno, sempre encoberto na escuridão de sua capa. Mas a aventura está apenas começando. Nos fundos da casa, eles descobrem uma gigantesca e magnífica árvore, repleta de abóboras de diferentes tons, formas e tamanhos. Em cada uma delas, há um rosto talhado, um sorriso que cintila à luz fraca de uma vela. Que mistérios esconde a Árvore do Halloween? Saberia o sr. Montarlha o paradeiro de Pipkin? E será que eles estão prontos para embarcar numa perigosa viagem a lugares distantes e tempos longínquos?


3 comentários:

  1. este mês nenhum me chamou a a atenção com aquela intensidade tão característica que me acompanha quando vejo as novidades
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A Bertrand está bem diversificada. E desse slançamentos quero muito ler 13 Segredos..fiquei apaixonada pela capa intrigada pela premissa.

    bj

    ResponderExcluir
  3. Não curti muito esses lançamentos, mas há sempre um publico para eles e espero que eles fiquem felizes!
    bjs

    ResponderExcluir

 
Google+