2

[Resenha] O que restou de mim

em terça-feira, 25 de novembro de 2014
O que restou de mim
As Crônicas Híbridas - Vol. 01
Kat Zhang
Galera Record
318 páginas

O que restou de mim escrito por Kat Zhang é o primeiro volume da trilogia As Crônicas Híbridas, que narra um enredo sobre uma sociedade onde duas almas coexistem em um único corpo.

Eva e Addie nasceram como todas as outras crianças: duas almas entrelaçadas no mesmo corpo. Os primeiros anos foram os melhores de suas vidas com brincadeiras e cumplicidades. Mas com o passar do tempo, todos começaram a se perguntar o por quê delas não se definirem, onde começaram os testes e exames.

Elas não sabiam o significado de se definir, e descobriram isso depois de alguns anos. Todo ser humano ainda na infância se define, o que significa que a alma recessiva deve partir para que a dominante possa ter uma vida normal. Mas por algum motivo, isso não aconteceu com Eva e Addie.

Ainda que os médicos tenham tardiamente declarado Addie definida, ela sabia a verdade: Eva, a alma recessiva, continuava lá... escondida, esquecida no próprio corpo. Elas eram híbridas.

Considerados instáveis e perigosos, os híbridos foram perseguidos e eliminados das Américas. Por isso, Addie e Eva vivem da forma mais discreta possível, sem chamar a atenção para que descubram o segredo delas. Quando Eva descobre que há uma chance de voltar a andar, falar e sorrir por conta própria, percebe também que está disposta a tudo para conseguir isso.

O problema que não estaria arrisco apenas a própria vida, já que ela nunca está sozinha...

O que restou de mim foi uma das surpresas do ano de 2014. Desde que li a sinopse, fiquei curiosa com o enredo, e não me decepcionei em nenhum momento com a proposta da autora.

Na trama, as protagonistas vivem em um mundo onde é normal a criança nascer com duas almas entrelaçadas, e devido a questões políticas, apenas as Américas que existe o conceito de definição, onde uma das almas precisa partir. Como ambas as almas querem ser dominantes, falando, agindo por vontade própria, os governantes acreditam que os híbridos são inconstantes e perigosos. Addie e Eva descobrem que existem mais híbridos, e que é possível que Eva volte a ter controle sobre o corpo, e assim ela deixaria de ser apenas uma observadora.

A história é contada pelo ponto de vista de Eva, onde conhecemos a solidão em que vive, já que a única pessoa que ainda tem contato com ela é Addie. Mas Addie também sofre já que não pode fazer nada para ajudar, sendo que a única coisa que pode fazer é concordar em deixar que Eva volte a ter controle sobre o corpo.

Kat traz um livro que fala sobre identidade, sobre aceitação, não se deixando abater por uma sociedade que não aceita o diferente. A narrativa da autora é carregada de emoção e questões filosóficas, sobre como aceitar que uma alma que nasceu com você, compartilhando todos os momentos importantes, possa deixar de existir.


Estou na expectativa para o lançamento do segundo volume, já que quero descobrir como a autora evoluirá a trama com essas duas personagens marcantes. Com uma história única, O que restou de mim é uma das revelações de 2014, que os leitores não podem perder.

Nota:


2 comentários:

  1. Oi Carlinha,
    Esse livro é uma "viagem", hahaha, confesso que fiquei um tanto curiosa, em parte pq lembrou um cadinho de O doador de memórias, no sentido de imposição de leis.
    Essa ideia é meio cruel, quase como ter um gêmeo e vê-lo morrer. Que horror.
    Gostei da sua resenha, quem sabe havendo tempo para ler eu o pegue. =)
    Bj

    ResponderExcluir
  2. Eu assim que vi o lançamento do livro fiquei louca por ele, mas vejo muitas pessoa não recomendando, dai acabo ficando com medo d não curtir també,
    eu vi que você gostou da leitura, o enredo lendo assim parece ser meio futurista e um pouco confuso rs,
    acho que ou aguardar sair o segundo para ver se as pessoas gostam..e dai ver se leio, ja tenho muito livro na minha lista então ando precisando de criterios, senão enlouqueço rsrs,
    beijos.

    ResponderExcluir

 
Google+