24

[Resenha] A Princesa, o Cafajeste e o Garoto da Fazenda

em segunda-feira, 14 de março de 2016
Olá, pessoal!

A resenha de hoje é por conta da Beta do Literatura de Mulherzinha, vamos conferir?

Se você teve a sorte de ser criança/adolescente entre as décadas de 1970 e 1980, provavelmente quis:

- ser arqueólogo aventureiro e resgatar tesouros de bandidos como Indiana Jones;
- ter um amigo E.T. que fizesse voar sua bicicleta e a de seus amigos;
- viajar no tempo em um Delorean com um cientista muito maluco;
- ter um amigo tão louco, irresponsável e descolado como Ferris Bueller #SaveFerris;
- se aliar à Aliança Rebelde para libertar o universo das garras do Império.

(estica um lencinho para os saudosistas)

Pois é, devo confessar que sempre fui muito apegada a uma destas possibilidades. E fico feliz que esta novelização, dedicado a apresentar o universo de Star Wars ao público infantojuvenil, tenha reavivado meu interesse por outras delas. Afinal de contas, O Despertar da Força vem aí e, só de ouvir meros acordes do tema já causa arrepios, imagina o tamanho da emoção em reencontrar esta série em outra fase da minha vida.

A Princesa, o Cafajeste e o Garoto da Fazenda; Star Wars: Uma Nova Esperança como você nunca viu – Alexandra Bracken – Editora Seguinte
(The Princess, the Scoundrel e and the Farm Boy – 2015)
Personagens: princesa Leia de Alderaan, Han Solo e Luke Skywalker

Leia queria fazer a diferença, ser a voz pelos oprimidos pelo Império. Capturada, viu seu planeta natal ser destruído e agora a esperança estava na memória de um droide enviado a um planeta distante atrás de um ex-capitão Jedi. Um contrabandista que deve a um ser perigoso busca meio de pagar as dívidas antes que se torne alvo de todos os caçadores de recompensa do universo. Ele se une a um misterioso homem, um adolescente recém-saído de uma fazenda e dois robôs em uma missão repleta de reviravoltas. Este grupo de heróis e heroína vão mostrar que as pessoas improváveis são capazes de fazer a diferença nesta batalha entre bem e mal.

Comentários:

- Lembro quando vi o livro e o título fez um radar disparar ao som da trilha composta por John Williams (como fez na minha jukebox mental cinematográfica), certificado pelo subtítulo “Star Wars: Uma Nova Esperança, como você nunca viu”. E olhe que eu sempre fui mais ligada à Indiana Jones que Star Wars, primeiro pelo pavor que eu sentia de Darth Vader (convenhamos: é uma figura que intimida crianças pequenas com imaginação fértil). Por isso, levei anos para ver os filmes. Fiz maratonas dos filmes clássicos. Fui ao cinema ver a trilogia dos filmes I-II-III. Passei a querer um sabre de luz (embora nenhuma pessoa sensata me entregaria um por motivos de: sou desastrada). E agora estou fazendo de conta que não estou curiosa, empolgada, contando dias para ver O Despertar da Força no cinema (ainda mais pela maravilhosa dupla de protagonista: uma garota e um rapaz negro. A Força não privilegia biótipo YAY), sendo que farei outra maratona das duas trilogias anteriores com direito a pipoca, guaraná e muita tietagem com um grupo de amigos, como uma espécie de “aquecimento” para a tietagem na sala de cinema.

- A Princesa, o cafajeste e o garoto da fazenda teria sido um livro muito útil para meu eu medroso de embarcar nesta aventura em algum momento na transição da infância para adolescência. A autora Alexandra Bracken, uma fã da saga incentivada pelo pai, atingiu o objetivo de mostrar que estes estereótipos não definem nem limitam os personagens. Que eles são muito além dos rótulos que receberam ao longo da vida – inclusive de si mesmos.
 
- Leia não era a garota bonita à espera de ser salva pelo príncipe, com quem se casaria e seria feliz para sempre. Ela queria combater as injustiças que soube que eram cometidas pelo Império, se tornou a mais jovem senadora, subestimada por todos... E que terminou capturada em uma missão ousada: roubar as informações da construção da Estrela da Morte, a mais mortífera máquina de matar e dominar do Império. Após ver Alderaan ser destruído em uma demonstração de poder, ela aguardava ser executada. A menos que um milagre acontecesse.

- Han Solo e Chewbacca eram contrabandistas, trabalhando com transporte de coisas, pessoas e cargas que o Império não poderia saber. Justamente por isso se livrou de uma carga para não ser preso e agora estava (na melhor das hipóteses) muito encrencado com Jabba, o Hutt. Após uma desavença que envolveu o uso de armas laser em um bar, ele concordou em levar um homem idoso, um adolescente e dois droides até o sistema de Alderaan por uma boa quantia, que permitiria quitar a dívida e salvar o próprio pescoço.

- Para quem nunca havia saído de Tatooine, Luke Skywalker, de repente, se viu realizando muitos desejos. Buscava aventura, emoção, romper os limites da fazenda. Após ser o único sobrevivente da família que escapou de um massacre das tropas do Império, se viu seguindo Ben Kenobi, um capitão e um dos poucos mestres Jedi sobreviventes após a perseguição ordenada pelo Imperador. Ben sentiu a Força nele e começou a ensinar como ele poderia entender e controlar isso, em uma corrida contra o tempo para levar R2-D2 E C-3PO para os rebeldes antes que eles fossem descobertos.

- No entanto, ao chegarem o local indicado, encontraram rastros de destruição e foram capturados pela Estrela da Morte. Espertos, impulsivos, eles escapam dos stormtroopers, em um pique-esconde dentro da nave inimiga. Descobrem a princesa presa e, mesmo sem unanimidade, partem para o resgate. No entanto, para escapar, sofrem uma perda dolorosa. A partir daí, precisam decidir o que fazer em um futuro não muito promissor, a menos que comprassem a briga junto com a Aliança Rebelde contra o Império. No entanto, nem todos querem isso.

- A autora consegue mostrar que, sendo quem são, os três eram capazes de fazer muita coisa pelo bem. Contra todos os “pensamentos já definidos” a respeito deles e mesmo como eles se viam. Leia era uma líder guerreira, estrategista e inteligente. Apesar de impulsivo e inexperiente, Luke tinha bom coração e a Força e Ben para guiá-lo. Han teve que endurecer o coração para sobreviver, mas as circunstâncias e o grupo de amigos “forçados pela convivência” poderiam mostrá-lo que ele era melhor do que pensava.

- Apesar de ser uma releitura de diferentes fontes relacionadas ao material original, há cenas que rementem à nossa memória afetiva da série. Em alguns momentos, era capaz de ouvir a voz do Han Solo. Ou os assobios do R2-D2. Ou o barulho dos sabres de luz no confronto de Darth Vader e Ben Kenobi. Sem contar o sorriso de cumplicidade ao ver as frases “Estou com um péssimopressentimento sobre isso” ou “Que a Força esteja com você” aparecerem pela primeira vez no texto. Algo que percebi tanto neste livro quanto no trailer de O Despertar da Força é o uso de “Lado Sombrio” como tradução para “Dark Side”. Despertou curiosidade a respeito da mudança – totalmente possível pelo significado original – mas ainda não vi nenhuma matéria especificamente sobre isso. Ficarei atenta.

- Star Wars foi um dos pioneiros, na década de 1970, dos blockbusters de verão voltados para os adolescentes. Misturando a jornada do herói, aventura, perdas, busca de sabedoria, conflito bem x mal, protagonistas além das aparências, a lição é mostrar que somos capazes de conduzir nosso próprio destino e de fazer escolhas que nos mantenham no Lado Bom da Força. Investir este poder em algo produtivo para nós, para a comunidade que nos cerca e viver em harmonia, respeitando as diferenças. Em um 2015 repleto de exemplos do Lado Sombrio na vida real, é preciso determinação e coragem para assumir esta luta. Que a Força esteja com você!

As novelizações seguem a trilogia original do Star Wars e é composta pelos livros.
1. A Princesa, o Cafajeste e o Garoto da Fazenda – The Princess, the Scoundrel e and the Farm Boy – Alexandra Bracken – Episódio IV
2. Então você quer ser um Jedi? – So you want to be a Jedi? – Adam Giovitz - Episódio V




24 comentários:

  1. Eu quero muuito ler Star Wars !!! Essas resenhas que só me deixam mais ansiosa... PRECISO :3

    ❥Blog:Gordices Literárias

    ResponderExcluir
  2. OI Carla, comecei a gostar de Star Wars a pouco tempo e é claro que já estou curiosa para ler tudo que diz respeito sobre eles. Infelizmente, não sou da década de 70 ou 80, mas nunca é tarde para começar a ser fã hehehe. Fico fascinada como um universo pode ser tão explorado e de diversas maneiras. Sua resenha ficou ótima, a propósito.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  3. Oie,comecei a ler Star Wars porque meu cunhado vivia falando de como era legal o filme que eu deveria assistir etc, de tanto ele falar acabei lendo o livro e virei grande fã, infelizmente não nasci na década de 70 nem 80, mais assisti alguns filmes que vc citou e sim queria ter um amigo et.

    ResponderExcluir
  4. Que resenha perfeita molier!!! Sabe que ue não curtia Star Wars até ler Estrelas Perdidas e agora estou muito empolgada para conferir estes aqui!!! Adorei suas considerações!!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá

    adorei a resenha, estão bem explicadinho seu ponto de vista que fiquei com vontade de ler. Nunca li nada da série e pretendo mudar isso logo. Acho bem legal essas capas da editora.


    Everton Equipe Rillismo
    rillismo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá!!


    Acho que sou a única doida que não é ficcionada por Star wars. Fui no.cinema, assisti alguns filmes anteriores esporadicamente, mas nada que me deixe tão empolgada como você. Talvez fazendo aquisição dessa novela minha opinião mude, mas no momento não acho tão impactando e extraordinário. :( livros são similares aos nossos estado de espírito, quem sabe em um futuro. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Nunca fui muito ligada a Star Wars apesar de sempre ouvir comentário positivos a respeito dos livros e filmes. Confesso que tenho curiosidade em ler e essa resenha ficou ótima e me chamou mais ainda a tenção.
    Beijos!
    http://virandoamor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Eu conheço muito pouco do universo Star wars e apesar de ter curiosidade ainda não me animei a assistir ou ler... Achei interessante essa visão diferente dos personagens, sem contar que deve ter sido ótimo para você revisitar a história.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Sou uma grande fã da saga e talvez por isso ainda não tenha tido coragem de ler nenhum desses livros que fazem uma releitura ou trazem uma nova história do universo. Fico meio receosa com o que pode haver nesse conteúdo, mas a sua resenha me deixou mais tranquila. Não sei se sairei correndo para comprar o livro, mas já penso em o ler em algum momento.
    Bjs!

    www.porlivrosincriveis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oie. Tudo bem??
    Que post lindo hehehhehee
    Eu não curto S.W nunca ligueis para os filmes e nem para os livros, não vejo graça sabe kkkkkk, mas cada um tem seu gosto, até porque o mundo seria sem graça se todos gostassem das mesmas coisas.
    Não conhecia esse livro, e admito que achei a premissa até legal, mas não sei se leria... Não tive a sorte de ser uma das crianças da década de 70 - 80 kkkk.
    Amei a resenha, muuuuito bem escrita, adorei as curiosidades sobre SW que eu particularmente desconhecia.

    ResponderExcluir
  11. Oii, tudo bem?
    Eu gostei muito da sua resenha e da forma que escreveste tudinho <3 (eu amo esses balões) Porem, eu não consigo me agradar destes livros referente a Star Wars, prefiro a forma clássica e tudo mais sabe? Acho meio jogada de marketing para ganhar grana mesmo. E como você gostou, espero que venham mais leituras assim para ti <3

    ResponderExcluir
  12. Olá, sabe que apesar de eu nunca ter lido nada da série, eu não sinto nenhuma vontade de conhecer as obras? seilá mas acho que não está na minha hora de ler esses livros, quem sabe mais para frente dou uma chance!

    Beijos

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/03/resenha-ilha-das-sete-luas.html

    ResponderExcluir
  13. Oi! Tudo bem?

    Nossa, lá vem minha vergonha de novo... Nunca li e nem assisti a SW! Sério. Affe, pronto, falei! hahaha Enfim, sou totalmente leiga no assunto. Ok, sei quem Darth Vader é e tal, mas é só isso. Então, não sei se eu me atreveria a ler releituras, sem saber do que o original se trata, sabe?!

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  14. Oi Ana! O saudosismo bateu aqui!
    Me pergunto por que não li antes essa série, mas adorei começar a ler a partir dos livros da editora. Me incomodou um pouco no livro, principalmente na parte 1, as frases abertas da autora, por exemplo: ela começa escrevendo e para com reticências. Isso me incomoda numa narrativa, principalmente se for utilizado de maneira frequente. Mas aí nos próximos capítulos fui tomado por inteiro. E vamos ao próximo episódio.
    Obrigada pela indicação!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Oi Ana,
    Eu fui criança na década de 90 e senti muita dessa nostalgia ai também.
    Outras nem hoje que voltou com tanta força, eu consigo sentir vontade de conhecer melhor, e STAR WARS é uma delas, não consigo me animar em relação a franquia, pode ser que um dia eu resolva ler algum dos livros ou ver um dos filmes, mas até hoje não me senti muito atraída a conferir.
    Ainda assim curti muito a sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Olha, precisei do lencinho, viu? Sua resenha me deixou bem saudosista. Eu já andei vendo esse livro por aí, e tenho muito vontade de lê-lo, afinal, sou fão de Star Wars desde sempre. Já estou me preparando para me emocionar com as cenas que remetem à nossa memória afetiva. Acho que desidratarei. Adorei a sua resenha!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  17. Olá!! :)

    Nunca li nenhum livro (nem vi nenhum filme) de Star Wars, facto que pretendo mudar em breve! :) Adorei a sua resenha!! E fico fascinado com a variedade de métodos que nos ajudam a "ver" e explorar este mundo, que, pela sua "descrição" é bastante complexo... :)

    Ah! E não sou desse tempo, embora conheça algumas das situações referidas... hehe

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  18. Olá! Sei que já assisti alguns filmes de Star Wars, mas livros ainda não li nenhum. gostei muito deste retorno e fiquei interessada para conhecer melhor a obra!

    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  19. Ainda não li nenhum livro de Star Wars, mas tenho muita curiosidade, assisti alguns filmes mas os antigos não me lembro bem, acho que está na hora de fazer uma maratona! Quero alguns livros e esse é um deles!! Parabéns pela resenha, gostei bastante!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Olá!!

    Que post completo!! Parabéns!!
    Eu fui uma criança dos anos 90, pois nasci em 88, então me lembro disso tudo, mas já não era tão novidade assim eram meus pais quem gostavam!}
    Estou querendo muito ler esses novos livros, rever os filmes e relembrar um pouco de Star Wars, fiquei bem feliz que essa nova geração poderá tr contato com tudo isso novamente! Meu filho adora o Darth kkkk (e tem 3 anos em!)

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  21. Olá!

    Sou uma das poucas pessoas que não curtem Star Wars, já tentei assistir aos filmes, ler os livros, mas para mim não rolou. Não consegui sentir 1% do que os fãs sentem ao ver/ler sobre Star Wars. Portanto, deixo a dica passar! Mas, parabéns pela resenha.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Google+