0

[Resenha] Primavera de Cores

em terça-feira, 27 de junho de 2017
Primavera de Cores
Foi assim que te amei vol. 03
Adriana Brazil
296 Páginas
Editora Novo Século

Primavera de Cores escrito por Adriana Brazil é o terceiro volume da série Foi Assim Que Te Amei, onde cada volume o leitor acompanha o romance entre Helen e Andrew em uma das estações de emoções em que vivem no relacionamento. Assim como o próprio título sugere, é nesse volume que o relacionamento do casal começa a desabrochar após os intensos acontecimentos do livro anterior.

A Primavera chega a Florianópolis e com ela vários acontecimentos que irão marcar para sempre a estação das flores. Um clima de mistério envolve Helen e seu futuro. Um sonho tenebroso encontra seu repouso da noite e trará muito mais que um descortinar de acontecimentos vindouros, mas a revelação do seu próprio destino. Enquanto Helen firma sua esperança nas promessas de um sonho, ela passa a ser perseguida por dramas que acometerão não apenas sua trajetória, como também a das pessoas mais importantes de sua vida.

Neste volume, o relacionamento do casal está começando a desenvolver. Eles se amam, desejar construir um futuro juntos, mas ainda têm muitas arestas a acertar. Em um relacionamento, nem sempre a pessoa tem a razão, e em outros momentos é necessário saber renunciar, e é isso que os dois precisarão aprender.

É interessante acompanhar a forma que a autora aborda velhos conceitos morais que a muito não vemos nos jovens, assim como a importância da fé e acreditar em Deus. O romance está presente no livro, assim como a fé, acreditando que se alguma dificuldade foi colocada no caminho, Deus estará ao lado não nos deixando sozinho para passar esse momento.


O que mais uma vez me incomoda na história é o excesso, desde o amor que eles sentem um pelo outro, assim como nos momentos de sofrimento onde parece que apenas a Helen sofre nesse mundo. Não diminuo o brilho ou a emoção da trama, assim como o aspecto moral que é abordado durante a história. Apenas que já sabia do amor dos dois desde o primeiro livro, e não precisava repetir isso a todos os instantes (risos).

Nota:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Google+