8

[Resenha] Dezesseis

em sexta-feira, 8 de setembro de 2017
Dezesseis
Rachel Vincent
240 Páginas
Editora Universo dos Livros

Dezesseis escrito por Rachel Vincent é o primeiro volume da série Brave New Girl, onde traz uma trama de distopia com uma personagem que ousou ser diferente em um lugar onde todos são iguais.

A história me surpreendeu bastante, com uma narrativa bem envolvente e um ritmo fluido, onde terminei a leitura em poucas horas. Estou bem curiosa para a segunda parte e assim saber o que acontecerá aos personagens. Ainda não conhecia o trabalho da autora, e espero apreciar mais obras em breve.

A história se passa em Lakeview, onde tudo é projetado e criado para ser igual e seguir um padrão. Os seres humanos são criados iguais a partir de genes, são treinados e instruídos para seguir apenas uma função, tudo para funcionar perfeitamente a cidade. Não existe interação entre eles, são criados em laboratórios, são verdadeiros clones. E quando um deles apresenta alguma atitude defeituosa, todos os clones idênticos a essa pessoa são eliminados. Cada habitante da cidade recebe somente um nome e um número quando é criado, esse número indica o ano de cada um, e ajuda na organização da cidade.

Nesse ambiente é que conhecemos Dhalia-16, uma jovem nascida com a missão de se tornar uma agricultora hidropônica, que interiormente, quer ser a melhor entre todas. Mas ela não pode demonstrar qualquer sentimento, como orgulho ou egoísmo, ou isso pode ser entendido como um defeito no gene, e 4999 meninas iguais a ela seriam recolhidas, ou seja, seriam mortas.

E em uma ida a Administração, Dhalia-16 acaba ficando presa no elevador junto com Trigger-17, um cadete da Academia de Defesa, e como eles são de atividades diferentes, não podem interagir. Mas nesse momento de fobia, eles começam a conversar e Dhalia percebe que existe todo um mundo que ela precisa conhecer. 

Quando Dahlia não consegue parar de pensar nele – nem resistir a procurá-lo, ainda que isso signifique quebrar as regras – ela percebe que deve ser defeituosa também. Mas, se ela for defeituosa, todas as idênticas também são, o que é um perigo, pois todas deverão ser recolhidas. Mas como continuar seguindo a regra se continua a pensar em Trigger-17?

E assim acompanhamos uma história de um ritmo alucinante onde acaba rápido demais, deixando o leitor perdido sem saber o que fazer até a publicação do próximo volume.

Foi uma leitura que me conquistou desde o primeiro instante e a cada capítulo queria saber mais dos personagens, tanto Dhalia como Trigger, assim como eles esconderiam os seus "defeitos". O que me chamou a atenção na história foi que em um mundo onde existem cinco mil iguais a Dhalia, apenas ela que chamou a atenção de Trigger, mostrando que mesmo que exteriormente seguimos um padrão ou uma moda, são nossas atitudes e pensamentos que nos diferem entre as pessoas.

A narrativa da autora é surpreendente, consegue criar um mundo distópico sem deixar o leitor perdido, e ainda traz situações dessa sociedade que faz a pessoa refletir sobre o que acontece. Estou muito curiosa para ler a continuação e saber o que acontecerá aos personagens. Dezesseis é um livro surpreendente que vai conquistar muitos leitores.

Nota:


https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif


8 comentários:

  1. Oi Carla esse é um dos livros que mais tenho vontade de ler menina, ainda mais diaante da situação em que estamos vivendo, como ser diferente é bom e tem que ser aceito com igualdade, achei incrível a capa!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Apesar de ter vontade de ler, não o farei nesse momento porque ando meio cansada de distopias, todas acabam sendo mais do mesmo, mas quem sabe em outro momento? Parece ser uma leitura e tanto.

    ResponderExcluir
  3. Oi Carla
    Não conhecia este livro ainda, mas já fiquei doida para ler também!
    Que capa mais bacana.
    Adorei seu post e já coloquei Dezesseis na minha lista!
    Depois te conto
    Bjks mil

    ResponderExcluir
  4. Oi, Carla.
    Participei de um evento desse livro e já estava super curiosa para ler essa história! Agora fiquei ainda com mais vontade.
    Adoro esse tipo de trama!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Acompanhei o lançamento desse livro mas sem uma intenção real de o ler pois imaginei que fosse ser mais uma dentre tantas distopias que vemos por aí, mas a sua resenha levou por terra esse meu pensamento e me fez querer esse livro pra ontem! Amo distopias e essa pareceu se destacar dentro do gênero.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi.
    Eu não conhecia a obra, mas adorei a analogia que a autora criou. Essas questão de sermos criados e previamente programados para alguma coisa. Se formos pensar bem, nascemos, estudamos, trabalhos, curtimos um pouco a aposentadoria, se tivermos sorte e morremos. Tudo isso para sustentar um estilo de vida e podermos comprar coisas que muitas vezes não precisamos.
    Adoro esse tipo de reflexão e fiquei interessada em ler o livro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oiee Carla, tudo bem? Nossa, sua resenha me deixou mega interessada por esse livro! Eu já tinha lido um ou outro comentário sobre ele, mas só agora fiquei realmente com vontade de ler. Gosto bastante de distopias, e a premissa dessa está bem legal. Adorei saber que o ritmo é rápido, também. Já está na listinha :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. oi, bacana ver que foi uma obra que te atraiu e que te deixou ávida para a continuação. Gostei de saber sobre esse mundo onde todos são iguais mas que ainda assim alguém se diferencia por seus pensamentos e sentimentos.

    ResponderExcluir

 
Google+