2

[Resenha] As Coisas Que Fazemos Por Amor

em quarta-feira, 8 de novembro de 2017
As Coisas Que Fazemos Por Amor
Kristin Hannah
352 Páginas
Editora Arqueiro

As Coisas Que Fazemos Por Amor escrito por Kristin Hannah traz uma emocionante história sobre duas mulheres, que diante de suas perdas, descobrem que família é muito mais que um laço de sangue.

Eu sou apaixonada pelas histórias criadas por Kristin Hannah, pois sempre traz algo para refletir e mesmo com todas a emoção que sentimentos durante a leitura, não consigo me sentir triste com o drama da história. Kristin escreve histórias de como é a vida, com todos os momentos ruis e também os bons, assim como todas as dúvidas e incertezas de qualquer ser humano. São histórias delicadas, emocionantes, que conquistam o leitor desde a primeira página.

Caçula de três irmãs, Angela DeSaria já tinha traçado sua vida desde pequena: escola, faculdade, casamento, maternidade. Porém, depois de anos tentando engravidar, o relacionamento com o marido não resistiu, soterrado pelo peso dos sonhos não realizados. Ela sempre planejou todos os momentos da vida, e quando percebe que não consegue engravidar, fica depressiva, sem conseguir se relacionar com a família ou com o marido.

Após o divórcio, Angie volta a morar na sua cidade natal, ficando próxima da família. Ela precisa de um novo propósito para superar o fracasso do casamento e da tentativa de ter um filho, e ao lado da mãe e das irmãs, ela tenta se recuperar. O restaurante da família está falindo, e Angie vê nessa situação a oportunidade de conseguir mudar a situação da família que tanto está apoiando.

Lauren Ribido é uma adolescente estudiosa, bem-educada e trabalhadora. Apesar de morar em uma das áreas mais decadentes da cidade com a mãe alcoólatra e negligente, a menina sonha cursar uma boa faculdade e ter um futuro melhor. E ela se esforça muito para isso, estudando em dobro e também trabalhando, para ter o que comer e onde morar, já que a mãe não está preocupada em pagar as contas.

Quando Angie conhece Lauren, ela sente um laço muito forte, algo que não imaginou que um dia sentiria: uma mulher que deseja um filho, uma menina que anseia pelo amor materno. Porém, nada poderia preparar as duas para a repercussão do relacionamento delas. Numa reviravolta dramática, Angie e Lauren serão testadas de forma extrema e, juntas, embarcarão em uma jornada tocante em busca do verdadeiro significado de família.

Que história! Não consigo dizer qual das duas protagonistas traz os momentos mais emocionantes, pois a cada capítulo, ficava ainda mais cativada pela história.

Angie não conseguiu engravidar, não conseguiu adotar e perdeu o grande amor da sua vida. Ela está tentando deixar o seu lado controlador para viver um dia de cada vez, e quem sabe descobrir o que tanto errou na vida. Ao lado de Lauren, ela começa a sentir o que é realmente ser uma mãe, mesmo que todos da família a aconselhem a não se envolver emocionalmente com a jovem.

Lauren desde pequena soube que não poderia contar com a mãe, que sempre a culpou por não ter tido o futuro devido a gravidez ainda adolescente. Sendo a única responsável da casa, Lauren faz de tudo para manter o mínimo de conforto, ao mesmo tempo em que lutar para conquistar os seus sonhos. Ao lado de Angie ela começa a descobrir o que é o carinho de uma mãe, e o quanto é bom ter alguém ao lado para ajudar nos momentos mais difíceis da vida.

A família de Angie é daquelas que queremos levar para casa, pois mesmo com toda a excentricidade, são pessoas leais, companheiras e amorosas, que fazem tudo para seus familiares. Foram eles que aceitaram Angie sem julgar suas escolhas ou criticar o seu fracasso.


A história é linda, emocionante, eu simplesmente queria mais e mais da autora. Ela é uma das minhas autoras favoritas, e é impossível não me emocionar com o drama que ela cria. São personagens falhos, que estão tentando encontrar a felicidade diante dos momentos da vida. É uma trama que fala sobre maternidade, família, perdas, o amo entre mãe e filha, perdão, maturidade. É uma história intensa, que leva o leitor a sentir os mais diversos sentimentos, tornando-se uma das melhores leituras do ano. Kristin Hannah é sinônimo de histórias intensas e emocionantes.

Nota:



2 comentários:

  1. Este livro foi lindo da mesma forma que você disse. É perfeito, cheio de emoção e imaginação. Uma coisa bem familiar e que mexe com todo o nosso sentimento. Eu adorei este e adoro a autora.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carla!
    Nossa, que resenha emocionante! rs
    Gosto quando o autor cria personagens com defeitos. É bem frustrante quando nos deparamos com um ser perfeito que tem a solução para tudo em um piscar de olhos.
    Gostei da história, vou anotar aqui como dica de leitura.
    Bjos!
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir

 
Google+