0

[Resenha] Antes da Tempestade

em sexta-feira, 29 de dezembro de 2017
Antes da Tempestade
Dinah Jefferies
425 Páginas
Editora Paralela

Antes da Tempestade escrito por Dinah Jefferies traz uma história de uma mulher que enfrenta os mais diversos preconceitos quando decide trabalhar para a família real da Índia em 1930.

Eu conheço a narrativa da autora através do livro O Perfume da Folha de Chá (publicação também da Editora Paralela), uma trama muito emocionante onde é impossível de parar a leitura. Devido a essa ótima experiência com a primeira publicação, estava ansiosa para conferir Antes da Tempestade, mas não fui totalmente envolvida por essa história.

Na trama, conhecemos a jovem inglesa Eliza que decide se dedicar a profissão de fotografa depois do falecimento do marido. Para ser reconhecida, ela aceita um convite do governo britânico para se hospedar durante um ano no castelo da família real local. Sua missão: fotografar, para o acervo da Coroa inglesa, a vida no Estado principesco de Juraipore, na Índia. Ao conhecer Jayant, irmão mais novo do marajá, Eliza embarca na aventura mais transformadora de sua vida.

Ela descobre mais sobre os costumes locais, um lugar de beleza incomparável e cultura rica, mas que não valoriza as mulheres, sendo elas apenas um acessório, assim como as misérias que podem existir em uma sociedade.

Enquanto Eliza desperta Jayant para a pobreza que circunda o castelo, ele mostra a ela as injustiças do domínio britânico na Índia. Juntos, descobrem uma afinidade de alma e uma paixão arrebatadora. Mas a família real fará de tudo — até o impensável — para impedir a aproximação entre o nobre indiano e a viúva inglesa.

O marido de Eliza morrera em um acidente, mas para os moradores locais, era irrelevante a forma como morreu e ainda Eliza continuar viva. Para eles, a esposa não poderia continuar a viver quando o marido falecia, ela deveria se suicidar-se, queimando em uma fogueira, e caso resistisse, seria amarrada e queimada do mesmo jeito. Com todos a olhando de maneira desconfiada por ainda estar viva, Eliza sentia que alguém a observava em todos os lugares.

Como Jayant era o príncipe, próximo da linha de sucessão, ele deveria se casar com alguém da mesma posição social, então o romance entre ele e Eliza era proibido. Mas a convivência faz com que eles começassem a sentir algo que não deveriam.

A história tinha tudo para me envolver, o romance proibido, os detalhes da cultura local, os perigos e preconceitos que Eliza estava vivendo, mas não senti que os personagens foram explorados e desenvolvidos em sua totalidade, e com isso, não consegui me envolver com o drama que estavam vivendo. Não consegui me conectar com o que acontecia a história, e por isso, acabei demorando muito para concluir essa leitura.


Desde os primeiros capítulos, não encontrei nenhum acontecimento marcante para que me deixasse na expectativa para continuar a história. O que foi uma pena, pois gostei muito dos detalhes da cultura local, os preconceitos vividos pela personagem, mas não consegui me conectar ao que sentia por eles. Mesmo esse volume não me conquistando, ainda vou ler as futuras publicações da autora.

Nota:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Google+