8

[Resenha] Submissa

em segunda-feira, 2 de abril de 2018
Submissa
Série The Enforcers vol. 01
Maya Banks
321 Páginas
Editora Gutenberg

Submissa escrito por Maya Banks é o primeiro livro da série The Enforcers, que traz um romance erótico sobre poder, sedução, dinheiro, submissão/dominação.

Maya Banks é conhecida por escrever histórias com altas doses de erotismo, envolvendo vários temas do mundo sexual, como  BDSM e ménage. Como em todos os livros que eu leio da autora que traz o tema submissão/dominação, sempre existe algo na história que me deixa nervosa durante a leitura, e com esse livro não foi diferente. Faz poucas horas que li a última página do livro e estou tentando processar tudo o que eu senti acompanhando o romance entre Evangeline e Drake.

Na trama, Evangeline é uma jovem de 23 anos, vinda do interior que resolveu viver em Nova York para conseguir um emprego melhor e assim ajudar os pais. Evangeline é uma mulher inocente, sincera, honesta, que não consegue esconder os seus sentimentos, mostrando a todos o que realmente está sentindo. Após uma grande desilusão amorosa que fez com que ela perdesse a pouco auto estima que tinha, Evangeline não se sente bonita ou digna de chamar a atenção de alguém.

Evangeline é o sinônimo de inocência, não tem noção da própria beleza e mantem uma áurea fragilidade que faz com que todos os homens queiram protegê-la. Perdeu a virgindade de forma desastrosa, e junto, toda a auto estima que tinha.

Drake Donovan é um magnata do entretenimento e um dos bilionários mais cobiçados do mundo. Ele é dono da boate Impulse, a casa noturna mais exclusiva da cidade. Drake gosta de dominar e quer que todos os obedeçam. Ele trabalhou duro para conquistar o poder e respeito entre os seus, ele fez as próprias regras e se alguém quer viver próximo a ele, precisa aceitar o que ele deseja.

Drake sabe mandar, dominar, não importa de qual forma, mas ele quer ter o controle. Acostumado a ter todos aos seus pés, não mede esforços para ter a única mulher que ele nunca imaginou se sentir atraído. Ele sabe que Evangeline é inocente, que não imagina os desejos mais sórdidos que ele tem, mas ele quer domina-la, ele precisa tê-la.

Evangeline conhece Drake quando decide ir sozinha até Impulse, onde acaba recebendo uma proposta que vai mudar toda a sua vida.  Uma tentadora oportunidade de ter tudo aquilo que nem em sonhos ela imaginaria possível. O preço? Submissão total e completa.

Não importa qual seja o livro ou a autora, eu não me sinto convencida quando o romance acontece de forma repentina e o casal se entrega de cabeça. Em apenas dois dias em que se conhecem, Evangeline decide que vai aceitar a proposta de Drake, sem ao menos conhecê-lo; ela se entrega de cabeça, aceitando o controle que Drake quer exercer sobre ela, e mesmo quando tenta mostrar um pouco das próprias garras e assim mostrar os seus limites, Drake sempre tem algo na ponta da língua para falar que a faça mudar de ideia. Sua eterna inocência, desejo de ser útil e até mesmo sua incapacidade de notar a própria beleza, me irritaram em muito momentos da história.

Cansei de ler em todos os instantes que ela estava ruborizada, envergonhada, ou se desculpando por simplesmente falar o que pensa. E ela só poderia ser revestida de pó das fadas, pois sua ingenuidade seduzia todos os “irmãos” de Drake, despertando o instinto de proteção que eles tinham.

E Drake quer mandar, controlar e ser obedecido. Mima Evangeline de todas as formas, mas ela sempre está a dizer que não precisa de nada material, que ela apenas quer Drake, nada mais. Drake consegue ser o ogro controlador que estamos acostumadas nos livros, apenas mandando, mandando e mandando...

Assim como em outros romances da autora, existem diversos momentos de paixão crua, onde o que importa é o prazer que eles estão sentindo. E esses momentos podem incomodar alguns leitores que não gostam do tema dominação/submissão, mas se iniciou a leitura, pode-se esperar tudo quando se trata de Maya Banks.


Mesmo com os momentos em que Evangeline me irritou com seus momentos de eterna inocência, eu gostei da história e estou bem ansiosa para saber o que acontecerá no próximo volume. É claro que o volume não acaba da melhor forma, e fiquei nervosa para saber o que aconteceria ao casal. Só tenho a certeza que terei muita emoção pela frente, pois já sofri muito com a leitura desse livro.

Nota:



8 comentários:

  1. Tudo bem? Que bom que curtiu a leitura.
    Essa é uma dica que passo, pois não curto o gênero. Raramente leio, ou nunca..
    Realmente não é um estilo que me agrade. Fico contente que para você tenha funcionado bem e que esteja ansiosa para ler mais no próximo volume.

    "o que seria do azul, se todos só gostassem do amarelo, não é mesmo?"

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carla.
    Ganhei um exemplar desse livro, mas acho que ando meio sem paciência para os livros da autora. Ainda tenho duas séries dela pendentes, então vou focar minhas forças para terminá-las antes de me arriscar com uma nova história!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Eu amo a escrita dessa autora e como ela trata o cenário BDSM, mas sinceramente, colocar a mocinha como uma mocinha incapaz até de pensar sozinha é chato demais e ultrapassado. Espero que ela melhore.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Nunca li nada da autora e depois dessa resenha acho difícil que um dia eu vá ler. Não gosto de romances assim, me sinto incomodada com uma protagonista fraca e inocente, que se deixa subjugar muito facilmente. Odeio isso! Obrigada pela resenha!


    Bjoxx – http://www.stalker-literaria.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carla!
    Eu já li alguns livros da autora e ela realmente capricha na carga erótica. Em relação a esse livro, não me atraiu tanto, ainda mais por eu não gostar do tema BDSM e também ter aquele clichê da mocinha inocente e o macho alfa controlador.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  6. Eu não curto muito o estilo hot e nem a submissão dentro deste estilo, então com certeza, o livro não é pra mim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá Carla,
    Não curto livros eróticos, então, passo longe desse livro e também não achei legal a mocinha ser tão inocente assim, sabe? Acho que estou em busca de outros estilos literários que me agradem mais, mas é legal que você tenha gostado desse livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá, ótima a sua resenha, ainda não conhecia esse livro. Confesso que estou um pouco cansada de mocinhos dominadores, mas se deixa esse interesse no leitor pelo próximo volume, pode ser uma boa leitura.

    ResponderExcluir

 
Google+