0

[Resenha] A Heroína da Alvorada

em segunda-feira, 28 de maio de 2018
A Heroína da Alvorada
A Rebelde do Deserto vol. 03
Alwyn Hamilton
384 Páginas
Editora Seguinte

A Heroína da Alvorada escrito por Alwyn Hamilton é o último volume da trilogia A Rebelde do Deserto, onde acompanhamos o encerramento dessa trama que nos conquistou desde a primeira página.

Confesso que toda vez que sei sobre o encerramento de uma história, eu fico relutante em fazer a leitura. Mesmo diante de toda a minha ansiedade para saber o que acontecerá aos personagens, eu ainda não consigo chegar à última página e dizer “adeus”... em saber que a história acabou...

Ai que depressão pós-leitura...

Mas esse é drama de todos os leitores, chegar à última página e saber que não terá mais aventuras para acompanhar seus personagens favoritos. Ainda que fosse necessário, que nem todos teriam um final feliz, eu entendi as escolhas da autora para o encerramento de cada personagem. Assim como a vida, nem tudo é perfeito e que em meio a uma guerra, baixas, sacrifícios acabam acontecendo. Isso não significa que eu não sofri... Cada capítulo foi uma tortura, sem saber o que aconteceria em seguida.

Esse último volume superou todas as minhas expectativas, e ainda estou impactada com tudo o que aconteceu. Vou me segurar ao máximo para não contar detalhes da trama, mas talvez um ou outro comentário seja um spoiler para aqueles que ainda não leram nenhum dos livros da trilogia. Só posso dizer que todos precisam fazer a leitura urgente!

"Depois que o cruel sultão de Miraji capturou as principais lideranças da revolta, Amani se vê obrigada a tomar as rédeas da situação e seguir até Eremot, uma cidade que não existe em nenhum mapa, apenas nas lendas — e onde seus amigos estariam aprisionados. Armada com sua pistola, sua inteligência e seus poderes, ela vai atravessar as areias impiedosas para concluir essa missão de resgate, acompanhada do que restou da rebelião. Enquanto assiste àqueles que ama perderem a vida para soldados inimigos e criaturas do deserto, Amani se pergunta se pode ser a líder de que precisam ou se está conduzindo todos para a morte certa."

De todos os personagens, Amani foi a que mais amadureceu durante toda a trama. De uma jovem egoísta que se preocupava apenas com a própria sobrevivência, transformou-se em alguém essencial para a união do grupo, assim como peça fundamental para o fim do governo opressor. Diante de tudo o que aconteceu no volume anterior, ela começa a notar que precisará fazer muitos sacrifícios para salvar todos que ama. No decorrer de toda a trilogia, Amani conheceu mais sobre si mesma, seus medos e anseios. Aprendeu com os próprios erros, conheceu mais sobre todos os problemas que aconteciam ao seu redor. E esse conhecimento foi necessário a cada obstáculo que enfrentou nesse último livro.

Sam foi alívio cômico diante da seriedade da trama. Com seu humor e comentários irônicos, ele foi um personagem que muito amadureceu na trama, enfrentando problemas do passado e encontrando coragem para se tornar alguém imprescindível para o grupo. E a amizade entre ele e Amani é daquelas que vai deixar saudades.

E o que dizer de Shazad? Uma das personagens que mais me conquistou desde o primeiro volume devido a sua inteligência, força e garra, tornando-se fundamental para todo o desenvolvimento da trama.

Gostei da forma como a autora conduziu o romance entre Amani e Jin, sem ofuscar o que era principal na história, sendo dosado na medida certa. Jin foi um personagem coadjuvante na trama, mas quando aparecia, era para dar o apoio necessário para as decisões de Amani. Não houve brigas, imaturidade, crise de relacionamento. Houve muito apoio, companheirismo, comunicação, tudo necessário para as dificuldades que estavam enfrentando.

A trama desse último livro é envolvente, recheado de reviravoltas, que mantém a tensão da primeira á ultima página. Impossível não se pegar ansioso para saber o que acontece com cada um dos personagens. O que me chamou a atenção nesse volume foi que tivemos alguns capítulos onde notamos o surgimento das lendas, como aquele determinado acontecimento ou personagem seria lembrado futuramente.

A autora detalhou toda a guerra que estava acontecendo, o sofrimento do povo diante de um governante opressor. Mostrou a complexidade das escolhas da protagonista, das dificuldades que teria que enfrentar, das perdas que teriam que vivenciar, algumas mais duras que as outras. E eu sofri em cada uma delas, mesmo sabendo da necessidade e que era inevitável, eu senti o meu coração apertado em cada uma delas. Em vários momentos, não conseguia saber o que aconteceria em seguida, sendo surpreendida a cada capítulo. 

E a autora encerrou perfeitamente cada arco que apresentou no decorrer da história, sem se perder com os fatos. Diferente de muitos autores que acabam deixando o encerramento a desejar, Alwyn fez questão de contar sobre cada um dos personagens e adorei a forma como mostrou o que aconteceu com cada um no último capítulo.


A Heroína da Alvorada deixou um vazio em mim, sem saber como continuar o meu cotidiano sem essa trama. Ao mesmo tempo em que traz verdades e acontecimentos devastadores, essa luta pela liberdade, assim como fortes heroínas vai deixar saudades.

Final perfeito!


Nota:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Google+